Calculadora Do Cidadão Correção?

Como calcular valor de correção?

Como saber qual o escalão em que se insere o seu agregado? – Para saber em que escalão se insere, terá de calcular o rendimento de referência do seu agregado familiar. Este valor é calculado através da soma dos rendimentos anuais brutos de cada membro da família a dividir pelo número de crianças e jovens com direito a abono, que fazem parte da família, acrescido de um.

Como atualizar um valor pelo índice Igp-m?

Veja um exemplo! Se você aluga um apartamento por R$ 1.500 e o seu contrato de aluguel deve ser renovado em março de 2023, vai ser preciso pegar o IGPM acumulado do último ano (1,79%) e transformá-lo em números decimais, assim ó: 1,0179. Ou seja, seu reajuste real é de R$ 26,85.

Como calcular valor corrigido pela inflação?

O valor corrigido é obtido a partir do produto entre o valor inicial e o resultado da divisão do número-índice do mês final pelo número-índice do mês anterior ao mês inicial. O resultado desta divisão é o fator que corresponde à variação acumulada do IPCA no período desejado.

Qual é o valor corrigido?

Perguntas frequentes sobre a correção de valores por índices –

  1. O que é correção monetária? A correção monetária (ou atualização monetária) é a atualização de um valor por um índice específico, como o IPCA ou o IGP-M. Esse reajuste compensa a desvalorização de uma moeda, nesse caso, o real.
  2. O que é IPCA? IPCA-E é a sigla para Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial, e é responsável por avaliar a variação de valores de diversos produtos e serviços do mercado comercial. E é popularmente conhecido como o indicador oficial de inflação do Brasil.
  3. Como é feito o cálculo IPCA? É calculado a partir do resultado entre o valor inicial e o total da divisão do número-índice do mês final pelo número-índice do mês anterior ao mês inicial. O resultado desta divisão é o fator que corresponde à variação acumulada do IPCA em um determinado período.
  4. O que é IGP-M? Trata-se do Índice Geral de Preços do Mercado. Como o nome sugere, é um índice que acompanha e indica qual é a variação dos preços praticados no mercado, Por meio dele, é possível saber se houve aumento (inflação) ou diminuição (deflação) em determinado período.
  5. O que é INCC? INCC é a sigla para o Índice Nacional da Construção Civil, criado pela Fundação Getúlio Vargas ( FGV ) para acompanhar a variação dos custos dos materiais e serviços usados na construção habitacional no Brasil.
  6. Qual índice de correção monetária usar? Existem diversos índices de inflação, sendo o IPCA o mais abrangente. Para fazer a correção monetária, é preciso escolher aquele que melhor representa a desvalorização do valor em questão.
  7. O que é o valor corrigido? É o valor atualizado após a correção monetária, ou seja, quanto o valor inicial vale atualmente. Quanto maior o valor corrigido, maior a desvalorização do número inicial.

Qual o fator de correção?

O que é? – O Fator de Correção (FC) é, basicamente, a diferença entre o peso bruto, ou seja, o alimento na forma como compramos, e o peso líquido, que se trata dele já limpo e preparado para utilizar nas receitas. O cálculo do FC é necessário apenas nos casos de alimentos que temos essa perda parcial no peso como acontece, por exemplo, com as frutas, legumes, verduras ou carnes.

Qual a correção monetária atual?

Mês Índice Acumulado
10/2022 6,7086
9/2022 6,7915
8/2022 6,8290
7/2022 6,8551

Como é feita a correção monetária?

Correção monetária é um ajuste que determinada moeda sofre em relação a moedas estrangeiras e à inflação. Também é chamado de atualização monetária e seu principal objetivo é manter o valor da moeda, o que ajuda investidores a evitarem prejuízos, já que o valor investido tende a não se desvalorizar ao longo do tempo.

Como atualizar o valor de um imóvel antigo?

Como calcular o valor atualizado do seu imóvel, é uma dúvida muito comum e faz um nó na cabeça de quem pretende vender a sua propriedade. Muitas vezes, temos uma ideia totalmente errada de como fazer essa análise e, sem parâmetros, a tarefa é quase impossível.

  1. Vamos tratar o assunto com duas abordagens diferentes: como calcular o valor de um imóvel com a tabela de atualização de custos disponibilizada pelo site da Receita Federal e quais métricas utilizar para calcular o valor de um imóvel.
  2. Como calcular o valor atualizado do seu imóvel pela tabela de atualização de custos Se o seu imóvel foi adquirido em uma moeda que não seja a vigente no Brasil, você deverá fazer a conversão para o valor em real e, a partir desse ponto, chegar ao valor atualizado.

Para isso, é disponibilizada uma ferramenta muito útil no site da Receita Federal que nos permite acesso à tabela com os dados necessários para a conversão. Basta acessar o site da Receita Federal e digitar “GCAP” na barra de buscas. O site mostrará resultados com links do “programa de apuração de ganhos de capital” e você deve escolher 2021.

Como calcular o fator de rendimento?

Rendimento = Peso líquido cru x Fator de cocção.

Como calcular fator de correção ficha técnica?

Com o mercado cada vez mais competitivo, os Serviços de Alimentação têm buscado não apenas o controle de custos, mas estabelecer um padrão de qualidade das preparações, a fim de garantir a satisfação da sua clientela. Nesse contexto, a ficha técnica de preparo de alimentos tornou-se uma ferramenta imprescindível na gestão do preparo de refeições.

Redução de perdas Otimização do tempo de preparo Controle de custos Manutenção da qualidade da preparação Previsão de compra de gêneros

You might be interested:  Calcular Gasolina X Álcool?

Com base na importância da elaboração da ficha técnica nos Serviços de Alimentação, é essencial que o Nutricionista da área de Alimentação Coletiva e o Técnico em Nutrição e Dietética saibam preenchê-la corretamente, bem como compreender sua lógica. Hoje falaremos quais itens podem constar na ficha técnica, bem como esclarecer as diferenças em relação alguns conceitos.

Nome da preparação/produto Ingredientes Medida caseira Quantidade com unidade de medida (Kg, g, ml, etc) Per capita Peso bruto Peso líquido Fator de correção Fator de cocção Rendimento Porção Modo de preparo

Entendendo os Conceitos dos Componentes da Ficha Técnica de Preparo de Alimento No entanto, é comum o surgimento de dúvidas em relação alguns conceitos de itens presentes na ficha técnica, o que favorece o preenchimento incorreto da mesma, e consequentemente, prejudica a execução das preparações, ocasiona perda de ingredientes e até o esgotamento de funcionários, pela necessidade de produção de nova receita.

  • Peso bruto x Peso líquido O peso bruto (PB) nada mais é do que o peso do alimento tal como ele é comprado, antes deste ser submetido às operações do pré-preparo, como: descascar, desossar ou cortar.
  • Após retirar toda parte não comestível do alimento, obtêm-se o seu peso líquido (PL), permanecendo apenas a parte que será utilizada durante a etapa de preparo.

Exemplo: As maçãs que serão utilizadas para o preparo da sobremesa chegam do fornecedor com casca, sabendo que o seu peso bruto é igual a 1,600 kg, após serem descascadas, passam apresentar 1,500 kg de peso líquido. Fator de Correção O fator de correção é uma constante para uma determinada qualidade de alimento decorrente da relação entre peso bruto e peso líquido, sendo capaz de prever as perdas inevitáveis durante a etapa de pré-preparo, quando os alimentos são descascados, desossados ou cortados.

O ideal é que cada serviço de alimentação tenha sua tabela de fator de correção de acordo com o tipo de alimento. Fator de correção = Peso Bruto / Peso Líquido Dessa forma, a partir do resultado do cálculo conseguimos observar as seguintes situações: Se o fator de correção for igual a 1: significa que não houve perda do alimento, mesmo após sua preparação, como o caso do sal, açúcar, arroz, etc.

Se o fator de correção for maior que 1: significa que houve perda e quanto maior seu número, maior será a perda. Exemplo: É feito o pedido ao fornecedor de 3,5 kg de Aipim (PB), porém após descascá-lo teremos apenas 2,8 kg (PL), logo o fator de correção será 1,2.

Na prática, se você vai precisar de 3,5 kg de Aipim já descascado, considerando a perda do pré-preparo, você deve multiplicar 3,5 kg (PL) por 1,2 (FC) para se obter 4,2 kg (PB), que é a quantidade que você deverá comprar de Aipim. Per capita x Porção O per capita é a quantidade do alimento consumido por pessoa, que pode ser calculado no Serviço de Alimentação, sendo atribuído ao alimento cru, como ele deve ser comprado, ou seja, é a quantidade comprada necessária para atender uma pessoa.

Já a porção é a quantidade do per capita referente a um alimento in natura ou preparado ou, ainda, a uma preparação, que indica a quantidade que será servida no prato, ou seja, o alimento pronto para o consumo. Exemplo: Para uma pessoa consumir 100g (porção) de carne grelhada, é preciso comprar 120g (per capita) de carne crua.

Como calcular fator de correção em porcentagem?

Seu guia de fornecedores para área magistral Apesar de fazer parte do cotidiano das farmácias de manipulação, diversas vezes enquanto inserimos a entrada de matéria-prima no sistema e avaliamos o laudo dos fornecedores nos deparamos com a seguinte dúvida: calculo ou não o fator? Não existe uma regra fixa e é necessário avaliar caso a caso e na dúvida sempre melhor contactar o fornecedor e pedir maiores esclarecimentos.

  • Mas para auxiliá-lo, preparamos aqui algumas dicas que vão sanar algumas de suas dúvidas e facilitar na sua decisão.
  • Confira! Por que calculamos Fator de correção? Usamos o fator de correção para corrigir uma diluição do produto.
  • O valor obtido será multiplicado pela dose prescrita na receita, fazendo justamente você pesar uma quantidade do produto a mais, ou seja, você despreza o que não faz parte do produto.

Ficou confuso? Veja os exemplos: Exemplo 1 : cálcio quelato

  • Segundo laudo, nessa amostra de cálcio quelato temos 20,1% de cálcio, o restante (79,9%) corresponde aos excipientes utilizados para a produção dessa matéria-prima. Aplica-se o cálculo abaixo e temos o fator de correção:
  • Fc = 100%/20,1% Fc = 4,97
  • No caso, será necessário pesar 4,97 vezes mais o insumo para eu ter a concentração desejado de cálcio. Ou seja, se a prescrição solicitou 30 cápsulas de 500 mg (0,5 g) de cálcio, devo calcular: 30 x 0,5 g x 4,97 = 74,55 g
  • Exemplo 2 : hidroxitriptofano
  1. Nesse caso aplicando também o cálculo temos o fator de correção:
  2. Fc = 100%/99,06% Fc= 1,01
  3. Logo se uma prescrição solicitar 60 cápsulas de 5-hidroxitriptofano 50 mg (0,05 g) teremos que pesar 3,03 g (60 x 0,05 g x 1,01 = 3,03 g).
  4. Exemplo 3 : uma diluição feita na farmácia

Diversos insumos na farmácia são prescritos em doses baixas e faz-se necessário realizar uma diluição prévia para facilitar a pesagem. Exemplos clássicos são T3, T4, vitamina D, vitamina B12, ácido fólico entre outros. A diluição aplicada irá gerar um fator de correção necessário para ser inserido nos cálculos de pesagem.

Por exemplo o ácido fólico numa diluição 1:10. Sabemos que 1 parte em 10 equivale a 10%, logo o Fc será (Fc=100/10 = 10). Então, em uma prescrição com 30 cápsulas de ácido fólico 1 mg (0,001 g) será necessário pesar 0,3 g da diluição (30 x 0,001 g x 10 = 0,3 g). Usamos essa mesma lógica para outras diluições como 1:2 (50% —— Fc=2), 1:100 (1% —- Fc=100), 1:1000 (0,1% —– Fc=1000).

E a umidade quando calculo? No laudo também consta a quantidade de água de uma matéria-prima que aparece mais comumente como perda por dessecação, quantidade de água livre ou karl fischer. Em certas situações é necessário descontar essa água visto que ela não faz parte da ação terapêutica do seu ativo. Em um primeiro momento calcula-se o fator de correção a partir do teor do insumo: Fc = 100% /97,2% Fc= 1,03 Na sequência calcula-se o fato de correção a partir da quantidade de água informada no laudo. Repare que no laudo está escrito que o teor é da base ANIDRA, ou seja, sem água. Nesse caso é importantíssimo descontar também a água presente no insumo:

  • Fc umidade = 100 % – 8,3% = 91,7% Fc = 100%/91,7% Fc=1,09
  • Com os dois fatores calculados multiplico um pelo outro:
  • Fc = 1,03 x 1,09 = 1,12
  • Nesse caso a pesagem do ácido fólico será necessário multiplicar pelo valor de 1,12.
  • Quais insumos não calcula fator de correção?
  • – excipientes: amido, celulose
  • – matérias primas utilizadas para formulação de base: álcool cetoestearilico
  • – matérias primas cujos ensaios clínicos foram realizados sabendo do teor do princípio ativo. Geralmente esses casos se aplica a matérias-primas com nome registrado
  • – Por indicação do fornecedor
  • E o fator de equival ê ncia?
You might be interested:  Calculadora De Idade Atual?

O fator de equivalência é utilizado para fazer o cálculo da conversão da massa do sal ou éster para o fármaco ativo, ou da substância hidratada para a anidra. O manual de equivalência da Anfarmag disponível no site do conselho federal de farmácia traz uma tabela com diversos fármacos e sua equivalência em relação ao medicamento comercial que auxilia no dia a dia.

Em diversos momentos precisamos efetuar o cálculo de equivalência principalmente nos minerais. Diante de uma prescrição de um mineral a receita precisa ser muito bem interpretada. Por exemplo, acetato de zinco, é necessário compreender se o prescritor está querendo a molécula acetato de zinco como um todo e nesse caso corrijo apenas o fator de correção ou, ele está querendo o apenas o zinco mas na forma acetato, sendo assim preciso descontar toda a parte de acetato da molécula e considerar apenas o zinco.

Calculo através do peso molecular do acetato de zinco como um todo e do zinco isoladamente.

  1. Exemplo : acetato de zinco
  2. Segundo laudo, acetato de zinco (C4H6O4Zn.2H2O) possui uma massa molar de 219,5, e através da tabela períodica sabemos que o zinco tem uma massa molar de 65,38, logo:
  3. 219,5 —————— 100% da molécula
  4. 65,38—————– X
  5. X = 29,78% da molécula é zinco

Ou seja, 29,78% da molécula equivale ao zinco, seu fator de equivalência será 3,35 (Feq = 100%/29,78%). Você pode também dividir a massa molar do acetato de zinco pela massa molar do zinco, resultando em 3,35. Então se o prescritor solicitar acetato de zinco 40 mg você precisa compreender o que exatamente ele está querendo pois você tem duas opções:

  1. Considerar a molécula acetato de zinco como um todo e no caso 30 cápsulas será necessário pesar 1,2 g (considerando que o teor do acetato de zinco seja 100% no laudo (Fc=1) —— 30 x 0,04 g x 1 = 1,2 g)
  2. Considerar 40 mg de zinco a partir do acetato de zinco e no caso para 30 cápsulas será necessário pesar 4,02 g ——- 30 x 0,04 x 3,35 = 4,02 g

: Seu guia de fornecedores para área magistral

O que é valor de correção?

Também chamada de atualização monetária, a correção monetária nada mais é do que o ajuste financeiro do real (moeda brasileira) em relação ao valor das moedas que circulam em outros países, a índices de inflação ou à cotação do mercado financeiro.

Como calcular fator de correção em porcentagem?

Seu guia de fornecedores para área magistral Apesar de fazer parte do cotidiano das farmácias de manipulação, diversas vezes enquanto inserimos a entrada de matéria-prima no sistema e avaliamos o laudo dos fornecedores nos deparamos com a seguinte dúvida: calculo ou não o fator? Não existe uma regra fixa e é necessário avaliar caso a caso e na dúvida sempre melhor contactar o fornecedor e pedir maiores esclarecimentos.

  1. Mas para auxiliá-lo, preparamos aqui algumas dicas que vão sanar algumas de suas dúvidas e facilitar na sua decisão.
  2. Confira! Por que calculamos Fator de correção? Usamos o fator de correção para corrigir uma diluição do produto.
  3. O valor obtido será multiplicado pela dose prescrita na receita, fazendo justamente você pesar uma quantidade do produto a mais, ou seja, você despreza o que não faz parte do produto.

Ficou confuso? Veja os exemplos: Exemplo 1 : cálcio quelato

  • Segundo laudo, nessa amostra de cálcio quelato temos 20,1% de cálcio, o restante (79,9%) corresponde aos excipientes utilizados para a produção dessa matéria-prima. Aplica-se o cálculo abaixo e temos o fator de correção:
  • Fc = 100%/20,1% Fc = 4,97
  • No caso, será necessário pesar 4,97 vezes mais o insumo para eu ter a concentração desejado de cálcio. Ou seja, se a prescrição solicitou 30 cápsulas de 500 mg (0,5 g) de cálcio, devo calcular: 30 x 0,5 g x 4,97 = 74,55 g
  • Exemplo 2 : hidroxitriptofano
  1. Nesse caso aplicando também o cálculo temos o fator de correção:
  2. Fc = 100%/99,06% Fc= 1,01
  3. Logo se uma prescrição solicitar 60 cápsulas de 5-hidroxitriptofano 50 mg (0,05 g) teremos que pesar 3,03 g (60 x 0,05 g x 1,01 = 3,03 g).
  4. Exemplo 3 : uma diluição feita na farmácia

Diversos insumos na farmácia são prescritos em doses baixas e faz-se necessário realizar uma diluição prévia para facilitar a pesagem. Exemplos clássicos são T3, T4, vitamina D, vitamina B12, ácido fólico entre outros. A diluição aplicada irá gerar um fator de correção necessário para ser inserido nos cálculos de pesagem.

Por exemplo o ácido fólico numa diluição 1:10. Sabemos que 1 parte em 10 equivale a 10%, logo o Fc será (Fc=100/10 = 10). Então, em uma prescrição com 30 cápsulas de ácido fólico 1 mg (0,001 g) será necessário pesar 0,3 g da diluição (30 x 0,001 g x 10 = 0,3 g). Usamos essa mesma lógica para outras diluições como 1:2 (50% —— Fc=2), 1:100 (1% —- Fc=100), 1:1000 (0,1% —– Fc=1000).

E a umidade quando calculo? No laudo também consta a quantidade de água de uma matéria-prima que aparece mais comumente como perda por dessecação, quantidade de água livre ou karl fischer. Em certas situações é necessário descontar essa água visto que ela não faz parte da ação terapêutica do seu ativo. Em um primeiro momento calcula-se o fator de correção a partir do teor do insumo: Fc = 100% /97,2% Fc= 1,03 Na sequência calcula-se o fato de correção a partir da quantidade de água informada no laudo. Repare que no laudo está escrito que o teor é da base ANIDRA, ou seja, sem água. Nesse caso é importantíssimo descontar também a água presente no insumo:

  • Fc umidade = 100 % – 8,3% = 91,7% Fc = 100%/91,7% Fc=1,09
  • Com os dois fatores calculados multiplico um pelo outro:
  • Fc = 1,03 x 1,09 = 1,12
  • Nesse caso a pesagem do ácido fólico será necessário multiplicar pelo valor de 1,12.
  • Quais insumos não calcula fator de correção?
  • – excipientes: amido, celulose
  • – matérias primas utilizadas para formulação de base: álcool cetoestearilico
  • – matérias primas cujos ensaios clínicos foram realizados sabendo do teor do princípio ativo. Geralmente esses casos se aplica a matérias-primas com nome registrado
  • – Por indicação do fornecedor
  • E o fator de equival ê ncia?
You might be interested:  Calculadora Imposto Nota Fiscal Serviço?

O fator de equivalência é utilizado para fazer o cálculo da conversão da massa do sal ou éster para o fármaco ativo, ou da substância hidratada para a anidra. O manual de equivalência da Anfarmag disponível no site do conselho federal de farmácia traz uma tabela com diversos fármacos e sua equivalência em relação ao medicamento comercial que auxilia no dia a dia.

Em diversos momentos precisamos efetuar o cálculo de equivalência principalmente nos minerais. Diante de uma prescrição de um mineral a receita precisa ser muito bem interpretada. Por exemplo, acetato de zinco, é necessário compreender se o prescritor está querendo a molécula acetato de zinco como um todo e nesse caso corrijo apenas o fator de correção ou, ele está querendo o apenas o zinco mas na forma acetato, sendo assim preciso descontar toda a parte de acetato da molécula e considerar apenas o zinco.

Calculo através do peso molecular do acetato de zinco como um todo e do zinco isoladamente.

  1. Exemplo : acetato de zinco
  2. Segundo laudo, acetato de zinco (C4H6O4Zn.2H2O) possui uma massa molar de 219,5, e através da tabela períodica sabemos que o zinco tem uma massa molar de 65,38, logo:
  3. 219,5 —————— 100% da molécula
  4. 65,38—————– X
  5. X = 29,78% da molécula é zinco

Ou seja, 29,78% da molécula equivale ao zinco, seu fator de equivalência será 3,35 (Feq = 100%/29,78%). Você pode também dividir a massa molar do acetato de zinco pela massa molar do zinco, resultando em 3,35. Então se o prescritor solicitar acetato de zinco 40 mg você precisa compreender o que exatamente ele está querendo pois você tem duas opções:

  1. Considerar a molécula acetato de zinco como um todo e no caso 30 cápsulas será necessário pesar 1,2 g (considerando que o teor do acetato de zinco seja 100% no laudo (Fc=1) —— 30 x 0,04 g x 1 = 1,2 g)
  2. Considerar 40 mg de zinco a partir do acetato de zinco e no caso para 30 cápsulas será necessário pesar 4,02 g ——- 30 x 0,04 x 3,35 = 4,02 g

: Seu guia de fornecedores para área magistral

Como calcular correção no Excel?

Como calcular correção monetária no Excel. Saiba o que é e como calcular a corretamente Excel. No texto de hoje, vamos te ensinar. De maneira prática usando o Excel. Siga conosco e aprenda! Com certeza você já ouviu falar em correção monetária, porém, talvez não saiba o que de fato significa e nem como calcular esse valor.

  • Mas não se preocupe, nós te mostramos como calcular e também como utilizá-la em uma planilha simples.
  • Antes de passarmos para os cálculos, é preciso entender o que é a correção monetária.
  • De forma geral, a correção monetária é uma “atualização” dos valores com forma de compensar a perda de poder aquisitivo pelo aumento nos preços gerais da economia.

Servindo como forma de minimizar a inflação e seus efeitos. Seu uso mais comum, é como uma ferramenta do Tesouro Nacional (que já utiliza-o há décadas), entretanto também é usada como referências para diversas áreas de finanças e economia no geral, como o imposto de renda, reajustes para investimentos, entre outros.

  1. Muitas pessoas acabam associando juros com correção monetária, embora em alguns casos, os juros podem indicar apenas uma determinada porcentagem sobre um valor em atraso, por exemplo.
  2. Para efetuar o cálculo da correção monetária é preciso levar em conta alguns índices, tendo em vista alguns parâmetros.

Porém, para fazer esse cálculo ou criar uma planilha para fazer essa conta automática, de forma geral, para fazer esse cálculo é preciso multiplicar a porcentagem de correção monetária sobre o valor inicial. Então, basicamente, utilizaremos a seguinte fórmula para calcular correção monetária usando Excel.

Correção monetária = montante inicial x porcentagem do índice de correção monetária do período

A título de exemplo, vamos utilizar um montante inicial de R$5.000,00, com a porcentagem de 10% no período indicado.

Correção monetária = R$5.000,00 x 10%Correção monetário = R$500,00

Para verificar o total acumulado, basta utilizar a seguinte fórmula:

1-Valor total = Montante inicial + Valor obtido da porcentagem da correção monetária2-Valor total = R$5.000,00 + R$500,003-Valor total = R$5.500,00

Em uma planilha, para verificar diversos valores que receberam correção monetária, basta criar uma coluna do montante inicial e outra da porcentagem aplicada, depois disso é só criar uma fórmula que multiplique o valor pela porcentagem, para obter o valor da correção.

  • Caso deseje verificar o resultado total, basta incluir na fórmula para somar o resultado com o montante inicial.
  • Outra opção é visitar o site da, e procurar opções de planilhas gratuitas ou pagas, que facilitem esse tipo de soma.
  • O site também conta com planilhas completas, como planilhas de controle de vendas, para facilitar o uso em empresas que precisam de informações rápidas e detalhadas.

No texto de hoje, ensinamos o que é e como calcular correção monetária usando Excel. Entender e calcular a correção monetária corretamente, é uma excelente forma de fazer projeções, entender o quanto um valor será corrigido, entre outras questões financeiras.

O que é índice de correção?

CDI – CDI é a abreviação para Certificado de Depósito Interbancário. Em outras palavras, é um índice de juros pelos quais os bancos emprestam dinheiro entre si. Essa taxa sofre variações diárias, com impacto imediato em correções monetárias sobre investimentos. Os bancos adotam essa prática para que as contas nunca fechem no vermelho.