Calculadora Equação 1 Grau?

Calculadora Equação 1 Grau

Como fazer cálculo de equação do 1 grau?

Resumo sobre equação do 1º grau –

A equação do 1º grau é uma sentença matemática que possui incógnitas de grau 1. A equação do 1º grau com uma incógnita possui uma única solução. A sentença matemática que descreve a equação do 1º grau com uma incógnita é a x + b = 0. Para resolver uma equação do 1º grau com uma incógnita, realizamos operações dos dois lados da igualdade, com o objetivo de isolar a incógnita e encontrar o seu valor. A equação do 1º grau com duas incógnitas possui infinitas soluções. A sentença matemática que descreve a equação do 1º grau com duas incógnitas é a x + b y + c = 0 A equação do 1º grau é um termo recorrente no Enem, que geralmente vem com questões que exigem interpretação do texto e a montagem da equação antes de resolvê-la.

Para que serve a equação de primeiro grau?

Equação para determinar o valor da variável independente (x) Por isso, a função de primeiro grau é utilizada para definir a relação entre as variáveis x e y. Isso porque para cada valor dado a x, determinará o de y. O seu valor sempre dependerá de x.

Como fazer uma equação com duas incógnitas?

Equação de 1º grau com duas incógnitas Toda equação do 1º grau com uma incógnita é representada pela forma geral ax + b = c, com a, b e c pertencentes aos números reais, sendo a ≠ 0. As equações do 1º grau com duas incógnitas são representadas pela expressão ax + by = c, com a ≠ 0, b ≠ 0 e c assumindo qualquer valor real.

10x – 2y = 0 x – y = – 8 7x + y = 5 12x + 5y = – 10 50x – 6y = 32 8x + 11y = 12 x = – 3 Exemplo 1 x = 2 – 3y = 3 (multiplicar por – 1) y = – 1

Essa relação de dependência pode ser denominada de par ordenado (x, y) da equação, os valores de x dependem dos valores de y e vice versa. Atribuindo valores a qualquer uma das incógnitas descobrimos os valores correlacionados a elas. Por exemplo, na equação 3x + 7y = 5, vamos substituir o valor de y por 2: 3x + 7*2 = 5 3x + 14 = 5 3x = 5 – 14 3x = – 9 x = – 9 / 3 Temos que para y = 2, x = – 3, estabelecendo o par ordenado (–3, 2).

  1. Dada a equação 4x – 3y = 11, encontre o valor de y, quando x assumir valor igual a 2.4*2 – 3y = 11 8 – 3y = 11 – 3y = 11 – 8 3y = – 3 y = – 3/3 Estabelecendo x = 2, temos y = – 1, constituindo o par ordenado (2, –1).
  2. A determinação do par ordenado é de grande importância para a construção da reta representativa da equação do 1º grau no plano cartesiano.

Esses conceitos são muito utilizados na elaboração de gráficos de funções, como na Geometria Analítica que relaciona os estudos algébricos com a Geometria, sendo de extrema importância para o cotidiano matemático. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 : Equação de 1º grau com duas incógnitas

Como calcular o valor de uma incógnita?

Macete para a solução de equação do primeiro grau –

Existe um macete decorrente do princípio da equivalência que facilita encontrar a solução de uma equação, De acordo com essa técnica, devemos deixar tudo que depende da incógnita no primeiro membro e tudo que não depende da incógnita no segundo membro.

  • Para isso, basta “passar” o número para o outro lado da igualdade, trocando seu sinal pelo sinal oposto.
  • Se um número é positivo, por exemplo, quando passado para o outro membro, ele se tornará negativo.
  • Caso o número esteja multiplicando, basta “passá-lo” dividindo e assim sucessivamente.
  • Veja: 2x – 8 = 3x – 10 Nessa equação, temos que “passar” o –8 para o segundo membro e o 3x para o primeiro, trocando seus sinais.

Assim : 2x – 3x = –10 + 8 (–1)· – x = –2 ·(– 1) x = 2 S =,

    Qual o nome do site que resolve equações?

    MINIMATH – Uma calculadora online simples de expressões e equações MINIMATH é um aplicativo web gratuito de álgebra para resolver equações e simplificar expressões monomiais, polinômios multivariados e frações racionais com integrais ou coeficientes racionais, demonstrando todos os passos da solução. Um monômio pode ser introduzido utilizando uma notação não ambígua. Por exemplo, o monômio (1/2)*(x^2)*c*(b^3), pode ser inserido como a seguir: 1/2x2cb3 Apenas os seguintes caracteres podem ser utilizados como variáveis: a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z Para evitar ambiguidade, as variáveis em letra maiúscula serão convertidas para minúscula. Caso números decimais sejam inseridos, eles serão automaticamente convertidos em frações.Os números decimais periódicos devem ser introduzidos indicando o período entre parênteses. Por exemplo: 0.58(3) ou 0,58(3) se tornará 7/12. Os símbolos utilizados para identificar as operações são: – elevar a um expoente inteiro ou racional (^) – divisão/fração (/), divisão (:), multiplicação (*) – adição (+), subtração (-) – raiz quadrada de m (sqrt(m)), apenas se m for um quadrado perfeito – raiz n de m (root(n)(m)), apenas se n for um número inteiro e m for uma potência perfeita Máximo divisor comum – MDC ($) e mínimo múltiplo comum – MMC (&) podem ser utilizados para calcular um dos polinômios pertencentes ao MDC e MMC de um conjunto de polinômios. EXEMPLO = (x4-9×2-4x+12)$(x3+5×2+2x-8) => calcula o máximo divisor comum RESULTADO = x2+x-2 => o polinômio MDC é de fato definido até uma constante multiplicativa diferente de zero. O máximo divisor comum é também chamado máximo fator comum (MFC). NOTA INFORMATIVA: O MINIMATH é uma aplicação provida no estado em que se encontra “as is”, sem garantias. O usuário é responsável pelo risco de utilização. Os autores não se responsabilizam por nenhuma consequência do uso do aplicativo. : MINIMATH – Uma calculadora online simples de expressões e equações

    O que fazer quando o delta é igual a zero?

    Discriminante – Escola Kids Toda do segundo grau pode ser escrita na forma ax 2 + bx + c = 0, em que a, b e c são chamados de coeficientes e x é um número real desconhecido chamado de incógnita. Para resolver esse tipo de equação, isto é, para encontrar os valores de x, um dos métodos mais usados é a,

    • A primeira etapa do cálculo dos valores de x, por meio da fórmula de Bháskara, é encontrar o discriminante da equação.
    • O discriminante é a parte da fórmula de Bháskara que está sob a raiz quadrada e é apresentado pela seguinte fórmula.
    • Δ = b 2 – 4ac Nessa fórmula, a, b e c são os coeficientes da equação do segundo grau,

    A letra grega Δ (delta) é usada para representar o discriminante de uma equação do segundo grau.

    • O segundo passo para a resolução de uma equação do segundo grau é utilizar a fórmula de Bháskara :
    • x = – b ± √Δ 2a
    • Existem outras aplicações para os discriminantes dentro das equações e que serão discutidos a seguir.
    • Quantidade de soluções reais

    Para saber se uma equação do segundo grau possui resultados reais distintos, apenas uma solução real ou nenhuma, não é necessário resolvê-la até o ponto de encontrar suas soluções. É possível descobrir a quantidade de raízes reais de uma equação do segundo grau somente observando seu discriminante,

    1. 1 – Se o discriminante for negativo, não é possível calcular sua raiz e, portanto, não é possível resolver a equação do segundo grau dentro do conjunto dos números rais. Em outras palavras:
    2. Se Δ < 0, então a equação não possui raízes reais.
    3. 2 – Se o discriminante for igual a zero, com a parcela ± √Δ = 0, resta para solução da equação o resultado único – b/2a. Em outras palavras:
    4. Se Δ = 0, então a equação possui uma raiz real.
    5. 3 – Se o discriminante é maior que zero, é o caso em que a equação do segundo grau possui duas raízes reais e distintas. Em outras palavras:
    6. Se Δ > 0, então a equação possui duas raízes reais.
    7. Interpretando funções do segundo grau
    8. Para as funções do segundo grau, valem as mesmas afirmações anteriores, que são elas:
    9. Se Δ < 0, então a equação não possui raízes reais.
    10. Se Δ = 0, então a equação possui uma raiz real.
    11. Se Δ > 0, então a equação possui duas raízes reais.

    Entretanto, vale lembrar que as raízes de uma função do segundo grau são os pontos de encontro entre o gráfico dessa função e o eixo x do plano cartesiano. Aliando o discriminante à concavidade da parábola, podemos determinar os intervalos nos quais a função é crescente, decrescente ou nula. Isso é chamado de,1 – A função é nula nas raízes.2 – Se a > 0 e Δ > 0, temos uma função com dois pontos de encontro com o eixo x, que tem concavidade voltada para cima. Assim, o intervalo entre as raízes é negativo, e o intervalo fora delas é positivo.3 – Se a 0, temos uma função com dois pontos de encontro com o eixo x (duas raízes) e concavidade voltada para baixo. Assim, o intervalo entre as raízes é positivo e fora delas é negativo.

    • 3 – Se a > 0 e Δ = 0, então a função possui apenas um ponto de encontro com o eixo x e concavidade voltada para cima, portanto é toda positiva, exceto na raiz, onde é neutra.
    • 4 – Se a < 0 e Δ = 0, então a função é toda negativa, pois possui apenas um ponto de encontro com o eixo x e concavidade voltada para baixo.
    • 5 – Se a > 0 e Δ < 0, então a função é toda positiva, pois não possui pontos de encontro com o eixo x e sua concavidade é voltada para cima.
    • 6 – Se a < 0 e Δ < 0, a função é toda negativa, pois não possui pontos de encontro com o eixo x e sua concavidade é voltada para baixo.

    : Discriminante – Escola Kids

    Quem criou a equação de primeiro grau?

    O primeiro indício do uso de equações está relacionado, aproximadamente, ao ano de 1650 a.C., no documento denominado Papiro de Rhind, adquirido por Alexander Henry Rhind, na cidade de Luxor – Egito, em 1858.

    Quando se multiplicar por (- 1?

    Resolução de uma inequação do primeiro grau. –

    • Para resolver uma inequação desse tipo, podemos fazer da mesma forma que fazemos nas equações.
    • Contudo, devemos ter cuidado quando a incógnita ficar negativa.
    • Nesse caso, devemos multiplicar por (-1) e inverter o símbolo da desigualdade.
    • Exemplos
    • a) Resolva a inequação 3x + 19 < 40
    • Para resolver a inequação devemos isolar o x, passando o 19 e o 3 para o outro lado da desigualdade.

    Lembrando que ao mudar de lado devemos trocar a operação. Assim, o 19 que estava somando, passará diminuindo e o 3 que estava multiplicando passará dividindo.

    1. 3x < 40 -19 x < 21/3
    2. x < 7
    3. b) Como resolver a inequação 15 – 7x ≥ 2x – 30?

    Quando há termos algébricos (x) dos dois lados da desigualdade, devemos juntá-los no mesmo lado. Ao fazer isso, os números que mudam de lado tem o sinal alterado.

    • 15 – 7x ≥ 2x – 30 – 7x – 2 x ≥ – 30 -15
    • – 9x ≥ – 45
    • Agora, vamos multiplicar toda a inequação por (-1). Para tanto, trocamos o sinal de todos os termos:
    • 9x ≤ 45 (observe que invertemos o símbolo ≥ para ≤) x ≤ 45/9
    • x ≤ 5
    • Portanto, a solução dessa inequação é x ≤ 5,

    O que e equação de 1 grau exemplos?

    As equações de primeiro grau são sentenças matemáticas que estabelecem relações de igualdade entre termos conhecidos e desconhecidos, representadas sob a forma: ax+b = 0 Donde a e b são números reais, sendo a um valor diferente de zero (a ≠ 0) e x representa o valor desconhecido.

    O valor desconhecido é chamado de incógnita que significa “termo a determinar”. As equações do 1º grau podem apresentar uma ou mais incógnitas. As incógnitas são expressas por uma letra qualquer, sendo que as mais utilizadas são x, y, z. Nas equações do primeiro grau, o expoente das incógnitas é sempre igual a 1.

    As igualdades 2.x = 4, 9x + 3 y = 2 e 5 = 20a + b são exemplos de equações do 1º grau. Já as equações 3x 2 +5x-3 =0, x 3 +5y= 9 não são deste tipo. O lado esquerdo de uma igualdade é chamado de 1º membro da equação e o lado direito é chamado de 2º membro.

    Onde se usa equações no dia a dia?

    As equações são utilizadas para resolver problemas simples do nosso cotidiano. Veja alguns exemplos: Percebeu que muitas vezes utilizamos as equações para resolver problemas simples, mesmo sem saber que são equações. Realmente fica mais fácil quando estudamos um conhecimento matemático aplicado a realidade.

    Qual é o valor de Y?

    Função do 1º grau. Estudando a Função do 1º grau Consideremos x e y duas variáveis, sendo uma dependente da outra, isto é, para cada valor atribuído a x corresponde um valor para y. Definimos essa dependência como função, nesse caso, y está em função de x.

    1. O conjunto de valores conferidos a x deve ser chamado de domínio da função e os valores de y são a imagem da função.
    2. Toda função é definida por uma lei de formação, no caso de uma função do 1º grau a lei de formação será a seguinte: y = ax + b, onde a e b são números reais e a ≠ 0.
    3. Esse tipo de função deve ser dos Reais para os Reais.

    A representação gráfica de uma função do 1º grau é uma reta. Analisando a lei de formação y = ax + b, notamos a dependência entre x e y, e identificamos dois números: a e b. Eles são os coeficientes da função, o valor de a indica se a função é crescente ou decrescente e o valor de b indica o ponto de intersecção da função com o eixo y no plano cartesiano.

    • Função crescente: à medida que os valores de x aumentam, os valores correspondentes em y também aumentam.
    • Função decrescente: à medida que os valores de x aumentam, os valores correspondentes de y diminuem.
    • y = – 6x – 1, a = – 6 e b = – 1

    Exemplos de funções do 1º grau y = 4x + 2, a = 4 e b = 2 y = 5x – 9, a = 5 e b = –9 y = – 2x + 10, a = – 2 e b = 10 y = 3x, a = 3 e b = 0 Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

    1. y = – 7x + 7, a = –7 e b = 7
    2. Raiz ou zero de uma função do 1º grau
    3. y = 4x + 2
    4. y = – 2x + 10
    5. A reta representada pela função y = – 2x + 10 intersecta o eixo x no seguinte valor: 5
    6. y = – 7x + 7 y = 0 –7x + 7 = 0 –7x = –7 x = 1
    7. A reta representada pela função y = –7x + 7 intersecta o eixo x no seguinte valor: 1
    8. y = 3x y = 0 3x = 0 x = 0
    9. A reta representada pela função y = 3x intersecta o eixo x no seguinte valor: 0

    Para determinar a raiz ou o zero de uma função do 1º grau é preciso considerar y = 0. De acordo com gráfico, no instante em que y assume valor igual a zero, a reta intersecta o eixo x em um determinado ponto, determinando a raiz ou o zero da função. Vamos determinar a raiz das funções a seguir: y = 0 4x + 2 = 0 4x = –2 x = –2/4 x = –1/2 A reta representada pela função y = 4x + 2 intersecta o eixo x no seguinte valor: –1/2 y = 0 – 2x + 10 = 0 – 2x = – 10 (–1) 2x = 10 x = 10/2 x = 5 : Função do 1º grau.

    Como usar o método da adição?

    Método da Adição – No método da adição buscamos juntar as duas equações em uma única equação, eliminando uma das incógnitas. Para isso, é necessário que os coeficientes de uma das incógnitas sejam opostos, isto é, devem ter o mesmo valor e sinais contrários. Exemplo Para exemplificar o método da adição, vamos resolver o mesmo sistema anterior: Note que nesse sistema a incógnita y possui coeficientes opostos, ou seja, 1 e – 1. Então, iremos começar a calcular somando as duas equações, conforme indicamos abaixo: Ao anular o y, a equação ficou apenas com o x, portanto agora, podemos resolver a equação: Para encontrar o valor do y, basta substituir esse valor em uma das duas equações. Vamos substituir na mais simples: Note que o resultado é o mesmo que já havíamos encontrado, usando o método da substituição. Quando as equações de um sistema não apresentam incógnitas com coeficientes opostos, podemos multiplicar todos os termos por um determinado valor, a fim de tornar possível utilizar esse método. Por exemplo, no sistema abaixo, os coeficientes de x e de y não são opostos: Portanto, não podemos, inicialmente, anular nenhuma das incógnitas. Neste caso, devemos multiplicar por algum número que transforme o coeficiente em um número oposto do coeficiente da outra equação. Podemos, por exemplo, multiplicar a primeira equação por – 2. Agora, é possível resolver o sistema por adição, conforme apresentado abaixo: Logo, x = – 12, não podemos esquecer de substituir esse valor em uma das equações para encontrar o valor do y. Substituindo na primeira equação, temos: Assim, a solução para o sistema é o par ordenado (- 12, 60)

    Qual sistema de equação do 1 grau com duas incógnitas?

    A solução de um sistema de equações do 1º grau com duas incógnitas é o par ordenado que satisfaz, ao mesmo tempo, as duas equações. Observe o exemplo: Soluções da equação x + y = 7 ( 1,6); (2,5); (3,4); (4,3); (5,2); (6, 1 ); etc. Soluções da equação 2x + 4y = 22 ( 1,5); (3,4); (5,3); (7,2); etc.

    Como se resolve o Delta?

    O valor de delta é dado pela seguinte expressão: Δ = b 2 – 4ac, em que a, b e c são coeficientes da equação e Δ é delta.

    Qual é a raiz quadrada de zero?

    III – A raiz quadrada de 0 é igual a 0.

    O que e incógnita de 1 grau?

    O que é uma equação de primeiro grau? – Em Matemática, equações ou funções matemáticas podem ser classificadas de acordo com a quantidade, ou o grau das incógnitas que apresentam. Incógnita, vale lembrar, é a grandeza que deve ser determinada durante a resolução do problema.

    1. Sempre que há letras e números separados por um sinal de igual, temos uma equação.
    2. A equação 3x + 1 = 10, por exemplo, é uma equação de 1º grau, com uma incógnita apenas.
    3. De 1º grau, porque a única incógnita presente (x) tem expoente 1, sendo que x1 = x.
    4. Tem uma incógnita, porque se deseja descobrir o valor de uma única variável, representada por x.

    O modelo geral para uma equação de 1º grau com uma incógnita, portanto, será sempre ax + b = 0, Os itens a e b são chamados de coeficientes da equação, sendo b conhecido como termo independente também. Porém, a coisa pode se complicar. Há equações de 1º grau com número superior de incógnitas, nas quais é preciso determinar duas ou mais grandezas.

    Por exemplo, na equação 4x + 3y = 38, é preciso determinar os valores de x e y. Mas não se preocupe. Considerando a frequência no Enem, podemos nos concentrar nas equações com uma incógnita, Veremos, a seguir, como é simples resolvê-las de maneira satisfatória. Em resumo, equação de 1º grau com uma incógnita é uma expressão algébrica que segue o formato ax + b = 0,

    Elas podem ser muito úteis para traduzir problemas matemáticos em uma linguagem numérica.

    O que e a raiz de uma equação?

    A raiz de uma equação do 2º grau é o valor da incógnita que torna a sentença verdadeira.

    Qual o resultado da equação de primeiro grau 2x 7 28 5x?

    -4,6.

    Qual é a forma geral de uma equação do 1º grau com duas incógnitas?

    Observe a forma geral desse tipo de equação: ax + by = 0, com a ≠ 0, b ≠ 0 e variáveis formando o par ordenado (x, y).

    O que é uma equação dê um exemplo?

    O que é equação? – Brasil Escola Equação é uma expressão algébrica que contém uma igualdade. Ela foi criada para ajudar as pessoas a encontrarem soluções para problemas nos quais um número não é conhecido. Sabendo que a soma de dois números consecutivos é igual a 11, por exemplo, é possível encontrar esses dois números por meio de equações.

    1. Antes de aprender a resolver equações, é preciso compreender o significado da definição dada acima.
    2. Expressões algébricas Expressões algébricas são um conjunto de operações matemáticas básicas aplicadas a números conhecidos e a números desconhecidos.
    3. Para representar esses números desconhecidos, são utilizadas letras.

    É mais comum utilizar as letras x e y, mas isso não significa que elas são as únicas. Em alguns casos, são utilizadas letras do alfabeto grego e até símbolos diversos.

    • Observe os exemplos de expressões algébricas abaixo:
    • 1) 12x 2 + 16y + 4ab
    • 2) x + y
    • 3) 4 + 7a
    • Todas essas expressões possuem letras representando números e números sendo somados e multiplicados.
    • Igualdade
    • Toda expressão algébrica que possuir uma igualdade em sua composição será chamada de equação. Observe alguns exemplos:
    • 1) x + 2 = 7
    • 2) 12x 2 + 16y + 4ab = 7
    • 3) 1:x = 3

    A igualdade é o que permite encontrar os resultados de uma equação, É a igualdade que relaciona uma operação matemática aplicada em alguns números com o seu resultado. Portanto, a igualdade é peça fundamental ao procurar os resultados de uma equação. Por exemplo: Dada a equação x – 14 = 8, qual é o valor de x? Ora, sabemos que x é um número que, subtraído por 14, tem 8 como resultado.

    1. x – 14 = 8
    2. x = 8 + 14
    3. x = 22
    4. Somando 14 e 8, teremos 22 como resultado.
    5. Grau de uma equação

    O grau de uma equação está relacionado com a quantidade de incógnitas que ela possui. Dizemos que uma equação é de grau 1 quando o maior expoente das suas incógnitas é 1. Uma equação possui grau 2 quando o maior expoente das suas incógnitas é 2 e assim por diante.

    • O grau também pode ser dado pelo produto de incógnitas diferentes.
    • Por exemplo: a equação xy + 2 = y é uma equação de grau 2 porque possui um produto entre duas incógnitas de expoente 1.
    • O grau de uma equação determina quantas soluções a equação possui.
    • Desse modo, uma equação de grau 1 possui apenas 1 resultado (um valor possível para a incógnita); uma equação de grau 2 possui dois resultados e assim sucessivamente.

    Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Solução de equações Uma das estratégias de resolução de uma equação faz uso do pensamento acima. Repare que, observando as duas equações (x – 14 = 8 e x = 8 + 14), é possível imaginar que o número 14 trocou de lado da igualdade com um efeito colateral: trocou o seu sinal de negativo para positivo.

    Essa é uma das regras para solução de equações que estão listadas a seguir: Regra 1 – Do lado direito da igualdade, só permanecem números que não possuem incógnita; do lado esquerdo, apenas números que possuem; Regra 2 – Para trocar números de lado, possuindo ou não incógnita, é necessário trocar o sinal deles; Regra 3 – Feitos os passos 1 e 2, realize os cálculos que forem possíveis.

    Lembre-se de que os números que possuem incógnita podem ser somados se a incógnita for a mesma. Para isso, some apenas o número que as acompanha. Regra 4 – Ao final, deve-se isolar a incógnita. Para isso, o número que a acompanha deverá ser passado para o lado direito da equação dividindo os seus componentes.

    • Regra 5 – Se for necessário trocar de lado um número que está no denominador de uma fração, ele deverá passar para o outro lado multiplicando.
    • Exemplos
    • 1) Qual o valor de x na equação 4x + 4 = 2x – 8?
    • Solução : Seguindo a primeira e segunda regras, obteremos a seguinte linha de raciocínio:
    • 4x + 4 = 2x – 8
    • 4x – 2x = – 8 – 4
    • Agora, realize a terceira regra para obter:
    • 2x = – 12
    • Por fim, realize a regra 4:
    • 2x = – 12
    • x = –12 2
    • x = – 6
    • Portanto, o valor de x é – 6.
    • 2) Sabendo que a soma de dois números consecutivos é igual a 11, quais são esses dois números?

    Solução: Observe que os números são desconhecidos, mas são consecutivos. Ser consecutivo significa que o segundo é uma unidade maior que o primeiro. Por exemplo, 1 e 2 são consecutivos porque 2 é uma unidade maior que 1. Se os números consecutivos são desconhecidos, representaremos eles por uma letra (no caso x) e somaremos 1 ao primeiro para obter o segundo.

    1. x + (x + 1) = 11
    2. x + x + 1 = 11
    3. Pelas regras 1 e 2, obtenha:
    4. x + x = 11 – 1
    5. Pela regra 3, observe o resultado:
    6. 2x = 10
    7. Utilizando a regra 4, obtenha:
    8. 2x = 10
    9. x = 10 2
    10. x = 5
    11. Como x representava o primeiro número, então os números consecutivos cuja soma tem 11 como resultado são 5 e 6.
    12. Por Luiz Paulo Moreira Graduado em Matemática

    : O que é equação? – Brasil Escola

    Quando se multiplicar por (- 1?

    Resolução de uma inequação do primeiro grau. –

    • Para resolver uma inequação desse tipo, podemos fazer da mesma forma que fazemos nas equações.
    • Contudo, devemos ter cuidado quando a incógnita ficar negativa.
    • Nesse caso, devemos multiplicar por (-1) e inverter o símbolo da desigualdade.
    • Exemplos
    • a) Resolva a inequação 3x + 19 < 40
    • Para resolver a inequação devemos isolar o x, passando o 19 e o 3 para o outro lado da desigualdade.

    Lembrando que ao mudar de lado devemos trocar a operação. Assim, o 19 que estava somando, passará diminuindo e o 3 que estava multiplicando passará dividindo.

    1. 3x < 40 -19 x < 21/3
    2. x < 7
    3. b) Como resolver a inequação 15 – 7x ≥ 2x – 30?

    Quando há termos algébricos (x) dos dois lados da desigualdade, devemos juntá-los no mesmo lado. Ao fazer isso, os números que mudam de lado tem o sinal alterado.

    • 15 – 7x ≥ 2x – 30 – 7x – 2 x ≥ – 30 -15
    • – 9x ≥ – 45
    • Agora, vamos multiplicar toda a inequação por (-1). Para tanto, trocamos o sinal de todos os termos:
    • 9x ≤ 45 (observe que invertemos o símbolo ≥ para ≤) x ≤ 45/9
    • x ≤ 5
    • Portanto, a solução dessa inequação é x ≤ 5,