Que Graficos São Mais Indicados Para Representar As Informações Da Tabela?

Que Graficos São Mais Indicados Para Representar As Informações Da Tabela

Que gráficos são mais indicados para representar as informações?

Comparar valores –

Se seu interesse é confrontar valores ao longo do tempo ou entre várias categorias, prefira os gráficos de Barras, Linhas ou de Dispersão, Entre estes, deve-se avaliar o que se encaixa melhor à sua necessidade; caso você tenha muitos elementos, os gráficos de dispersão são os mais indicados.

    Qual tipo de gráfico pode ser utilizado para melhor representar?

    Gráfico de linha – Exemplo de gráfico de linha Os gráficos de linhas têm a função de revelar tendências e mudanças ao longo do tempo, Deve ser usado quando se deseja representar um conjunto de dados contínuos, Podem também ser traçadas várias linhas para mostrar a relação entre a evolução das variáveis no período representado.

    Quais são os tipos de gráficos mais usados para comparar informações?

    Gráficos de coluna Juntamente aos gráficos em barra, são os mais utilizados.

    Qual é o tipo de gráfico mais utilizado?

    Gráficos de coluna – Juntamente aos gráficos em barra, são os mais utilizados. Indicam, geralmente, um dado quantitativo sobre diferentes variáveis, lugares ou setores e não dependem de proporções. Os dados são indicados na posição vertical, enquanto as divisões qualitativas apresentam-se na posição horizontal. Gráfico em colunas apontando as maiores populações do mundo por país

    • Possuem basicamente a mesma função dos gráficos em colunas, com os dados na posição horizontal e as informações e divisões na posição vertical.

    Gráfico em barras indicando a taxa de mortalidade infantil no Brasil

    1. É um tipo de gráfico, também muito utilizado, indicado para expressar uma relação de proporcionalidade, em que todos os dados somados compõem o todo de um dado aspecto da realidade.

    Gráfico em pizza com a distribuição da água e da água doce no mundo Semelhantes aos gráficos de pizza, existem os gráficos circulares. A lógica é a mesma, a divisão de uma esfera em várias partes para indicar as diferentes partes de um todo em termos proporcionais. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

    Qual o tipo de gráfico mais utilizado?

    Imagine que você terminou de coletar as respostas de um questionário que enviou na semana passada. Quando você confere as respostas, vê que ainda está tudo muito confuso. Em apenas dois dias, você vai apresentar os resultados da pesquisa. Como deixar as tendências, os padrões e as conclusões dos seus dados claros e fáceis de interpretar? Felizmente, você pode contar com gráficos para ajudar a visualizar seus dados de um jeito que sua equipe vai entender.

    1. Antes de começar, é importante saber quais gráficos usar e por quê.
    2. Além disso, é uma boa ideia pensar em como otimizar o formato da pesquisa para poder criar o melhor tipo de gráfico para cada caso.
    3. Fizemos este guia prático para ajudar você a entender quando e como usar alguns dos tipos de gráfico mais populares.

    O gráfico de barras é nosso gráfico mais popular, e não é à toa. Ele permite comparar as diferenças entre como as pessoas responderam a uma pergunta usando barras que aparecem na vertical, na horizontal ou até empilhadas uma na outra. Quando usar gráficos de barras? Veja algumas vantagens e desvantagens desse tipo de gráfico.

    O processo de criar um gráfico de barras, assim como outros gráficos, começa com o tipo de pergunta que você escolheu para o questionário. Ao criar um gráfico de barras, use uma pergunta fechada, um tipo de pergunta com opções de resposta definidas para o respondente escolher. Você também pode criar um gráfico de barras a partir de uma pergunta de avaliação com estrelas ou de classificação, embora isso invalide o propósito de usar esse tipo de gráfico.

    Por exemplo, imagine se você quisesse saber como as pessoas avaliam um restaurante usando uma pergunta de avaliação com estrelas. Uma pontuação ou número de estrelas médio é muito mais valioso do que um gráfico que mostra a distribuição das respostas. Veja como eles ficam com barras horizontais: Você deve ter reparado que nós adicionamos mais algumas barras no segundo gráfico. Mesmo com dez barras, o gráfico de barras horizontais mantém os resultados claros e fáceis de entender. Agora, veja como fica o gráfico de barras empilhadas, que pode ser tanto horizontal quanto vertical. Use um gráfico de barras empilhadas parar comparar como grupos diferentes responderam a determinada pergunta. No gráfico abaixo, podemos ver facilmente como a distribuição de homens felizes e mulheres felizes é diferente. Na ferramenta Analisar da SurveyMonkey, você vê esse tipo de gráfico com mais frequência ao usar regras de comparação para ver como grupos diferentes de respondentes responderam a uma pergunta. Deseja usar filtros e tabulações cruzadas para examinar seus dados mais a fundo? Faça o plano certo para isso, Saiba mais → Para visualizar um gráfico de barras específico na ferramenta Analisar da SurveyMonkey, siga estas instruções: 1) Abra a pesquisa que deseja consultar e clique em “Analisar resultados”.2) Verifique se você está na guia “Resumo da pergunta”. 3) Agora você pode selecionar o gráfico de barras desejado. Se quiser que todas as outras perguntas mostrem o mesmo tipo de gráfico, clique na caixa de seleção “Aplicar a tudo”. Quando terminar, clique em “Salvar”.

    Qual a melhor forma de representar dados?

    Gráficos têm um papel fundamental na organização de dados na estatística, com eles, a interpretação desses dados torna-se mais eficiente. Ouça o texto abaixo! Os gráficos são representações que facilitam a análise de dados, os quais costumam ser dispostos em tabelas quando se realiza pesquisas estatísticas.

    Quando se deve usar o gráfico de barras?

    Gráficos de barra e Gráficos de Coluna – Gráficos de barras e colunas são usados para comparar itens diferentes. As barras em um gráfico de colunas são verticais, enquanto as barras em um gráfico de barras são horizontais. Gráficos de barras geralmente são usados para ajudar a evitar desordem quando a legenda de dados é longa ou se você tiver mais de 10 itens para comparar.

    Inicie o eixo y em zero – nossos olhos são sensíveis à área das barras em um gráfico. Se essas barras estiverem truncadas, o espectador pode tirar conclusões erradas. Nomeie os eixos – Rotular os eixos fornece contexto ao visualizador. Coloque legendas de valor nas barras – Isso ajuda a preservar as linhas limpas dos comprimentos das barras. Evite usar muitas cores “efeito arco-íris”. Usar uma única cor ou vários tons da mesma cor é uma prática muito melhor. Você pode destacar uma barra em particular se essa for a mensagem que você deseja transmitir.

    Quando devemos usar um gráfico de colunas ou de barras?

    O gráfico de colunas, também chamado de gráfico de barra, são usados na comparação dos quantitativos em setores, espaços de tempo ou lugares. Os dados são colocados na posição vertical e as categorias qualitativas na horizontal. Serve para informações simples e valores em duração (crescente ou decrescente).

    Como saber que tipo de gráfico usar?

    Atenção, este post foi produzido há algum tempo e pode estar desatualizado. (this text is also available in English ) Parte 1 Parte 3 Parte 4 Parte 2 — “Nem todas as empresas têm conhecimento suficiente sobre visualização de dados, mas é algo que faz toda a diferença na hora de o usuário do dashboard tomar uma decisão.

    O suporte da DP6 não é um desenho de gráficos sem saber o que as pessoas vão fazer com aquela informação, pois busca entender os objetivos do negócio e as questões estratégicas da empresa”. — Cliente DP6 A forma como você exibe ou recebe as informações estratégicas do seu negócio hoje gera insights para melhores decisões ? Como mostrar em gráficos cada tipo de informação? Esse artigo traz o passo-a-passo para escolher bem os gráficos que vão contar a história dos seus dados.

    É inegável a importância crescente da visualização de dados para otimizar as decisões estratégicas das empresas. Como explicado no primeiro artigo dessa série, chamamos de visualização de dados, Data Visualization ou “DataViz”, o estudo e a criação de representações visuais para dados.

    1. Atualmente, a capacidade de expor e interpretar dados estratégicos dos negócios de forma visual se tornou indispensável,
    2. Como escolher um gráfico? Quais são os conhecimentos mais básicos sobre visualização de dados que precisamos para escolher gráficos mais adequados para cada tipo de dado? Essa escolha terá impacto na facilidade e na rapidez que as pessoas terão para entender a mensagem que cada conjunto de dados precisa transmitir.

    Isso é essencial para tomar decisões de forma mais rápida e assertiva. A primeira pergunta a ser feita para escolher um bom gráfico é: o que será mostrado no gráfico? Escolha de gráficos Adaptado de: Andrew Abela, Extreme Presentation Para cada uma dessas formas de exibição de dados existem diversos tipos de gráficos, por exemplo gráfico de linhas, gráfico de colunas, gráfico de pizza. Escolher o tipo de gráfico adequado para os dados facilita a interpretação das informações e a geração de insights úteis, evita leituras inadequadas e decisões prejudiciais aos negócios. A segunda pergunta a ser feita para escolher um bom gráfico é: quantas variáveis, itens ou categorias serão mostradas no gráfico? Para escolher o tipo de gráfico mais adequado não basta saber se você precisa mostrar uma comparação, distribuição, composição ou relação entre os dados. Dependendo da quantidade de variáveis, pode ser melhor escolher um ou outro tipo de gráfico. É importante considerar também que mais informações no mesmo gráfico podem enriquecer a leitura dos dados, trazendo contexto, mas o excesso de informações pode sobrecarregar o gráfico e dificultar a leitura. As duas questões comentadas acima ajudam a escolher o tipo de gráfico conforme o tipo de dados. Contudo, para fazer uma escolha que realmente vai fazer a diferença em suas análises, é preciso pensar também em questões estratégicas do negócio, Os melhores gráficos para o seu negócio A primeira questão estratégica é: Quais são os objetivos do negócio e como a empresa sabe se suas metas foram alcançadas? Cada objetivo se relaciona a determinadas estratégias e táticas, Para criar um gráfico que facilite o processo de tomar decisões sobre os dados, é preciso conhecer esses elementos e os indicadores (Key Performance Indicators ou KPIs) mais relevantes para acompanhar o desempenho de cada um.

    1. Somente com esse conhecimento é possível ter certeza se os seus gráficos exibem todas as informações necessárias para uma decisão estratégica, e se todas as informações exibidas são realmente úteis,
    2. A segunda questão estratégica é: Que tipo de decisões poderão ser tomadas a partir desse gráfico? Quanto mais fácil for interpretar as informações e escolher a ação a ser tomada, mais valiosa será a visualização dos dados.

    Como a representação visual pode ajudar nesse processo? Quais informações complementares são necessárias para tomar uma decisão a partir dos dados exibidos? Entender quais são as questões estratégicas envolvidas também permite destacar no gráfico o que é mais relevante para gerar insights e ações tomadas com base nos dados. Como foram as vendas no quarto trimestre em relação aos outros? A terceira questão estratégica é: Quem precisa ler o gráfico? É importante garantir que a mensagem seja entendida pela pessoa que vai ler o gráfico e que tem o poder de tomar decisões a partir daqueles dados.

    Isso nem sempre é uma tarefa simples, pois o gráfico escolhido pode ser mais complexo do que o seu leitor está acostumado. Uma explicação mais detalhada ou uma boa conversa podem ajudar a reduzir problemas de interpretação. Mesmo depois de responder essas perguntas podem restar dúvidas sobre qual é o melhor tipo de gráfico.

    Para isso, recomendamos duas boas práticas: testar mais de um tipo para o mesmo conjunto de dados e conversar com as outras pessoas envolvidas. Afinal, não basta os dados estarem disponíveis, eles precisam ser entendidos para serem úteis ! Tem mais alguma dica para escolher bem seus gráficos? Comente e compartilhe com a gente! Leia também os outros artigos da série de DataViz : BÁSICOS

    Desafios e tendências da visualização de dados Como escolher o melhor gráfico para meus dados? Guia de gráficos básicos 5 dicas para facilitar a leitura e entendimento de gráficos

    INTERMEDIÁRIOS

    Por que DataViz é essencial e como provar pro seu chefe Como criar dashboards eficientes Guia de gráficos avançados Questões estratégicas para dashboards

    Perfil do autor: Ingrid Pino | Atua desde 2012 com Inteligência de Negócios na área de Marketing, com foco em Digital Analytics e Análises de Mercado, e participou de projetos de Data Science e Data Visualization em cinco países.

    Onde os gráficos são mais usados?

    O profissional da estatística se utiliza de gráficos pois eles se propõem a diferentes usos: exploração, descoberta, interpretação, diagnóstico, comunicação, apresentação, destaque, clareza, contar uma história. Os gráficos são recursos visuais muito utilizados para facilitar a leitura e compreensão das informações e divulgação de pesquisas em jornais, revistas, panfletos, livros e televisão.

    Quais são os principais gráficos utilizados na estatística?

    Existem vários modos de representá-los, as principais são: gráfico de pontos, gráfico de linha, gráfico de barra, gráfico de coluna e gráfico de setor.

    Quais são os tipos de gráficos e para que serve cada um?

    Gráficos de linhas, barras e colunas representam mudanças ao longo do tempo. Pirâmides e gráficos de pizza exibem partes de um todo. Enquanto gráficos de dispersão e mapas de árvores são úteis se você tiver muitos dados para visualizar.

    O que é um gráfico e uma tabela?

    Os gráficos são representações que facilitam a análise de dados, os quais costumam ser dispostos em tabelas quando se realiza pesquisas estatísticas, Eles trazem muito mais praticidade, principalmente quando os dados não são discretos, ou seja, quando são números consideravelmente grandes.

    Quando se usa o gráfico de pizza?

    Os gráficos de pizza podem converter uma coluna ou linha de dados de planilha em um gráfico de pizza. Cada fatia de pizza (ponto de dados) mostra o tamanho ou a porcentagem dessa fatia em relação à pizza inteira. Os gráficos de pizza funcionarão melhor quando: Você tiver apenas uma série de dados.

    Por que é importante escolher o tipo de tabela e gráfico adequados para cada variável analisada?

    Visão geral sobre gráficos – Um gráfico é uma representação de dados obtida em forma de figuras geométricas (diagramas, desenhos, figuras ou imagens), de modo a fornecer ao leitor uma interpretação rápida e objetiva. A tecnologia da informação possibilita o uso de recursos de interatividade gráfica (real-time) antes não disponíveis, que agilizam o trabalho e propiciam a criação de mapas, figuras e gráficos mais elaborados.

    Para cada uma dessas formas de exibição de dados existem diversos tipos de gráficos, como os gráficos de linhas, coluna, pizza, entre muitos outros. Escolher o tipo de gráfico adequado para os dados facilita a interpretação das informações e a geração de úteis, evitando leituras inadequadas e, consequentemente, decisões prejudiciais aos negócios.

    Portanto, para escolher o tipo de gráfico mais adequado, é importante saber se você precisa mostrar uma comparação, distribuição, composição ou relação entre os dados. É importante considerar também que mais informações no mesmo gráfico podem enriquecer a leitura dos dados, trazendo um contexto.

    Qual o gráfico mais indicado para representar valores em um período de tempo?

    Linha – Um gráfico de linha é a melhor opção para observar uma série de tempo detalhada ou para adicionar linhas de tendência. Se você adicionar uma linha de tendência ao gráfico de linha, ela será exibida com a mesma cor que a da métrica que ela representa. Você pode adicionar linhas de tendência em Configuração de gráfico > Linha de tendência ou ao adicionar uma nova métrica (consulte Inclusão de métricas em uma linha de tendência ). Ao selecionar o gráfico de linha, você pode alterar as opções a seguir no menu Configuração de gráfico ( ):

    Em Gráfico, você pode escolher se deseja mostrar a grade ( Mostrar grade ), editar a forma da linha ( Curva ), alterar a largura das linhas ( Largura do traço ), inserir aproximações no lugar de valores nulos ( Interpolar valores ausentes ), escolher em não substituir valores nulos ( Não substituir valores ausentes por zero ), representar pontos de resultado com formas diferentes ( Renderizador de pontos ) e mostrar agregadores de métricas na descrição dos dados ( Mostrar agregadores ). Em Cores, você altera as cores da grade, do plano de fundo e da linha. Além disso, você pode modificar o estilo, o texto e a posição dos eixos X e Y. Se você colocou uma métrica em um eixo duplo, pode editar as configurações do eixo secundário em Eixo secundário (consulte Inclusão de métricas em um eixo duplo ).

    Qual o melhor tipo de gráfico para expressar a variável de número de filhos?

    Variável Qualitativa Nominal – A variável Est.civil é uma qualitativa nominal. Desta forma podemos obter:

    1. Uma tabela de frequências (absolutas e/ou relativas)
    2. Um gráfico de barras ou de setores
    3. A “moda”, i.e. o valor que ocorre com maior frequência

    Por ser uma variável qualitativa, para obter a distribuição de frequência desta variável, basta contarmos quantas vezes ocorre cada categoria (ou nível), e organizar em uma tabela. civil.tb <- table(milsa$Est.civil) cbind("f" = civil.tb) f casado 20 solteiro 16 Esta simples contagem é chamada de frequência absoluta, Podemos também incluir nessa tabela a soma total de observações de todas as categorias. cbind("f" = addmargins(civil.tb)) f casado 20 solteiro 16 Sum 36 Com essa informação adicional, podemos agora calcular a frequência relativa, ou seja, a frequência absoluta de cada categoria, dividida pelo total. cbind("fr" = prop.table(civil.tb)) fr casado 0.5555556 solteiro 0.4444444 Note que, nesse caso, a soma das categorias deve somar 1 (ou 100%) cbind("fr" = addmargins(prop.table(civil.tb))) fr casado 0.5555556 solteiro 0.4444444 Sum 1.0000000 Com isso, podemos definir alguns tipos de frequência. Tipos de frequência

    • Frequência absoluta ( \(f_i\) ): número total de elementos em cada classe
    • Frequência relativa ( \(fr_i\) ): razão entre cada valor da frequência absoluta e o total de observações \
    • Frequência percentual ( \(fp_i\) ): frequência relativa em porcentagem \

    Os gráficos de barras e de setores são adequados para representar esta variável. O gráfico de barras é formado pelas categorias no eixo X, e pela frequência no eixo Y. A frequência utilizada pode ser tanto a absoluta quanto a relativa, conforme for o caso. O gráfico de setores (ou de pizza, ou torta, ou diagrama circular) também pode ser utilizado, mas apresenta uma maior limitação. Independente da frequência utilizada, cada setor terá a mesma área. Além disso, quando existem muitas categorias, e/ou as categorias possuem frequências semelhantes, a diferenciação dos setores é dificultada. pie(civil.tb) A moda de qualquer variável é definida como o valor mais frequente encontrado na amostra. No caso de variáveis qualitativas, a moda é a categoria que apresenta maior frequência. Nesse exemplo, a moda seria então names(civil.tb) “casado”

    Qual tipo de gráfico é o mais indicado para mostrar tendências ao longo do tempo?

    Linha – Um gráfico de linha é a melhor opção para observar uma série de tempo detalhada ou para adicionar linhas de tendência. Se você adicionar uma linha de tendência ao gráfico de linha, ela será exibida com a mesma cor que a da métrica que ela representa. Você pode adicionar linhas de tendência em Configuração de gráfico > Linha de tendência ou ao adicionar uma nova métrica (consulte Inclusão de métricas em uma linha de tendência ). Ao selecionar o gráfico de linha, você pode alterar as opções a seguir no menu Configuração de gráfico ( ):

    Em Gráfico, você pode escolher se deseja mostrar a grade ( Mostrar grade ), editar a forma da linha ( Curva ), alterar a largura das linhas ( Largura do traço ), inserir aproximações no lugar de valores nulos ( Interpolar valores ausentes ), escolher em não substituir valores nulos ( Não substituir valores ausentes por zero ), representar pontos de resultado com formas diferentes ( Renderizador de pontos ) e mostrar agregadores de métricas na descrição dos dados ( Mostrar agregadores ). Em Cores, você altera as cores da grade, do plano de fundo e da linha. Além disso, você pode modificar o estilo, o texto e a posição dos eixos X e Y. Se você colocou uma métrica em um eixo duplo, pode editar as configurações do eixo secundário em Eixo secundário (consulte Inclusão de métricas em um eixo duplo ).

    Qual gráfico é o mais indicado para verificar a porcentagem?

    Gráfico de Barras – Os gráficos de barras são os mais populares para mostrar resultados de pesquisa. Afinal de contas, eles servem tanto para respostas únicas, nas quais o resultado é 100%, quanto para respostas múltiplas, onde o resultado é superior a 100%. Dentro desse tipo de gráfico, existem os gráficos de barras empilhadas, usado para representar comparações em categorias ou subcategorias. Além disso, existem os gráficos de barras com dados negativos, que são a representação ideal para baterias de concordâncias de frases. Nesse sentido, o respondente precisa se manifestar a favor ou contra algo, ou ainda quando ele escolher percepções positivas e negativas. Por exemplo, uma escala de satisfação que vai de “muito insatisfeito” a “muito satisfeito”, uma escala de avaliação de notas de 0 a 10 ou uma escala de concordância que vai de “discordo totalmente” a “concordo totalmente”.