Tabela De Correlação De Cfop Entrada E Saída?

Como saber qual CFOP usar na entrada?

Normalmente, ao realizar uma Compra de mercadorias, na Nota Fiscal enviada pelo seu fornecedor, o CFOP constante começa com o dígito 5 ou 6. Mas, ao tentar indicar este CFOP no momento de cadastrar esta Nota no Sistema, o CFOP da Nota Fiscal não é aceito. Isto ocorre por que o CFOP segue uma lógica onde:

Quando iniciado com os dígitos 5 ou 6 (Ex: 5.102, 6.101, 5.101), indica que a operação efetuada é uma Saída

Quando seu fornecedor gerou esta nota fiscal, ele estava realmente realizando uma operação de saída. Logo, o CFOP realmente deve começar com um destes dois dígitos. Mas, quando você vai realizar o cadastro no sistema, está realizando uma operação de Entrada.

  • Visto que é uma operação de Entrada, o CFOP que você deverá indicar deve começar com 1 ou 2.
  • Exemplo: Seu fornecedor lhe fez uma venda, indicando o CFOP 5.102 na nota fiscal.
  • Ao realizar a Entrada, você provavelmente indicará o CFOP 1.102,
  • Uma outra questão importante é a variação entre 1 e 2 / 5 e 6.

Nas Entradas, deve-se usar:

1 quando o endereço do seu Fornecedor é do seu Estado (UF) – Ex: Você se encontra em MG e seu Fornecedor também.2 quando o endereço do seu Fornecedor é de fora do seu Estado (UF) – Ex: Você se encontra em MG e seu Fornecedor em SP.

Nas Saídas, deve-se usar:

5 quando o endereço do seu cliente é do seu Estado (UF) – Ex: Você se encontra em MG e seu cliente também.6 quando o endereço do seu cliente é de fora do seu Estado (UF) – Ex: Você se encontra em MG e seu cliente em SP.

Atenção: Não é sempre que, se na nota de compra consta o CFOP 5.102, você deve usar 1.102. Para garantir a informação do CFOP correta, consulte seu contador, Para consultar a lista completa de CFOP, clique aqui,

Como relacionar CFOP?

Como é formado o CFOP? o 1º dígito indica se a operação é de entrada ou saída. O 2º dígito mostra qual é o grupo ou a operação referida no documento fiscal. Por fim, o 3º e 4º dígitos especificam o tipo de prestação ou de operação.

Como saber qual CFOP e CST usar?

Segundo a última versão do relatório Doing Business, realizado pelo Banco Mundial, as empresas brasileiras gastam 1501 horas por ano apenas apurando impostos – o que garantiu um preocupante 184° lugar entre 190 nações. E a carga tributária pode chegar a 64,7% dos lucros de uma organização! Sem dúvidas o Brasil não é um país para amadores.

  • E quando o assunto é compliance fiscal, fica fácil que mesmo os profissionais mais experientes se confundam com tantas siglas, taxas e tributos pagos anualmente.
  • Quer conhecer a diferença entre CFOP e CST? Torne mais efetivo o seu compliance fiscal, não deixe de continuar a leitura deste post.
  • O que é CFOP O sistema tributário brasileiro é formado por diversos códigos que servem para organizar e facilitar as declarações das empresas.

O Código Fiscal de Operações e de Prestações das Entradas de Mercadorias e Bens e da Aquisição de Serviços é um código especificado pelo sistema tributário brasileiro e determinado pelo governo federal. Conhecido pela sigla CFOP, esse número existe para definir se uma determinada operação é tributável ou não.

O código contém informações sobre a origem do bem e o tipo de operação, como vendas, devoluções, transferências de estoque ou serviços. São identificados com base nos seguintes parâmetros: O tipo de pedido O tipo de operação A direção A localização O endereço de entrega no pedido A localização do cliente ou fornecedor O endereço do estabelecimento fiscal associado à nota fiscal ou o endereço do local do estabelecimento fiscal associado à nota fiscal.

O código deve ser obrigatoriamente escrito em campo específico das notas fiscais de qualquer operação e também é indicado na emissão de demonstrações financeiras, livros-caixa, etc. Ele vai definir se os impostos estão envolvidos ou não na operação e quais são as regras fiscais aplicadas.

Composto por quatro números, o primeiro define se a operação é de entrada ou saída, interna, interestadual ou com o exterior. Já o segundo dígito determina o grupo da operação. O terceiro e quarto dígitos representam o tipo da operação. Você encontrará, a seguir, uma lista das principais categorias de códigos CFOP.

Além desses, existem vários outros códigos com sufixos diferentes que descrevem subgrupos.1.000 – Entrada de bens ou aquisição de serviços dentro do estado; 2.000 – Entrada de bens ou aquisição de serviços fora do estado; 3.000 – Entrada de bens ou aquisição de serviços do exterior; 5.000 – Saídas Mercadoria ou Produção de bens e prestação de serviços no estado; 6.000 – Saídas de Mercadoria ou Produção com saída de bens ou aquisição de serviços fora do estado; 7.000 – Saída de bens ou aquisição de serviços no exterior.

O que é CST Sigla para Código de Situação Tributária. A sequência numérica é responsável por demonstrar a origem da mercadoria, além de definir qual tributação deve ser aplicada. Um detalhe importante: no DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) é mostrado somente o CST do ICMS, Há outros códigos de situação tributária referentes a outros impostos, mas eles são encontrados apenas no arquivo XML da nota.

São muitas as combinações, que seguem um padrão bem definido e que dependem do tributo representado. Veja como funciona abaixo: ICMS 3 dígitos 1º dígito indica a origem da mercadoria ou serviço 2º e 3º números mostram a forma de tributação pelo ICMS IPI 2 dígitos mostram a forma de tributação pelo IPI PIS/ COFINS 2 dígitos números mostram a forma de tributação pelo PIS e COFINS Mas cuidado: não confunda CST com CSOSN! Os dois códigos têm o mesmo objetivo, mas há uma diferença fundamental.

  • Enquanto o CST é usado pelas empresas que optaram pelo Regime Normal de Tributação, o Código de Situação da Operação no Simples Nacional, como o próprio nome diz, é exclusivo de quem escolheu o Simples Nacional.
  • A estrutura de dígitos e códigos é completamente diferente.
  • Por isso, todo cuidado é pouco durante o preenchimento.
You might be interested:  Na Tabela Abaixo Y É Inversamente Proporcional Ao Quadrado De X?

Atualização, a partir de 01.01.2022, os referidos códigos deverão ser utilizados pelos contribuintes optantes pelo Simples Nacional, nos termos do Ajuste SINIEF 14/2019. Neste sentido, até 31.12.2021, os contribuintes optantes pelo Simples Nacional utilizam codificação própria para efeito de emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), o Código de Situação da Operação no Simples Nacional (CSOSN).

Qual a diferença entre CFOP e CST É importante observar que o sufixo que compõe o CFOP também é um código em si, denominado CST (Código de Situação Tributária). Este código determinará se a transação é isenta, não tributável, totalmente tributável, parcialmente tributável, diferida e assim por diante.

O CST são os dois últimos números do CFOP. Qual a diferença entre o CFOP e o CST? Os dois são códigos diferentes que costumam ser combinados na emissão de notas fiscais, a fim de formar uma explicação completa sobre as transações. O CFOP é responsável por indicar a natureza de circulação do item ou da prestação do serviço.

Logo, o CST e o CFOP, de certa forma, se complementam. A seguir, você vai entender melhor sobre a relação entre eles. Os dois códigos são responsáveis por definir a origem de tributação de mercadorias ou serviços. O principal ponto de relação entre eles é que para cada CFOP existe uma CST que corresponde.

Dessa maneira, por meio do CST é definida a tributação da mercadoria com base na escolha do CFOP e se a operação fiscal terá ou não que recolher impostos. As combinações de CFOP com CST são muitas e devem ser analisadas de acordo com suas particularidades.

  1. Como, então, cruzar as informações entre CFOP e CST? O princípio é seguir três processos importantes: Analisar o CFOP; Definir o correto código de situação tributária para a origem da mercadoria e tributação do ICMS; Classificar, conforme a operação, a tributação do IPI, PIS e COFINS.
  2. Colocar em prática a correlação da diferença entre CFOP e CST oferece uma importante segurança fiscal relevante, já que garante o compliance fiscal com a Receita Federal.

Viu como é importante ter atenção à definição correta do CFOP e CST? Porém, fazer esse trabalho sem ajuda profissional pode ser difícil para quem não tem tanta intimidade com as regras fiscais. Para não deixar o Fisco te pegar, conte com a consultoria da equipe de contabilidade da iGo.

Qual CFOP de entrada e saída?

Qual é o de troca? – Para trocas, normalmente os CFOPs utilizados nas notas fiscais são o CFOP 5949 para entrada e CFOP 6949 para saída.

Quando devo usar o CFOP 1102?

Classificam-se neste código as compras de mercadorias a serem comercializadas. Também serão classificadas neste código as entradas de mercadorias em estabelecimento comercial de cooperativa recebidas de seus cooperados ou de estabelecimento de outra cooperativa.

O que é equivalência de CFOP?

Tabela CFOP Completa: Consulte aqui e veja Como Funciona sua Aplicação | Blog da Contabilizei CFOP é o Código Fiscal de Operações e de Prestações, e ele é indicado nas emissões de notas fiscais, declarações, guias e escrituração de livros. Basicamente, este código define se uma nota fiscal recolhe ou não impostos, o movimento de estoque e financeiro.

Resumidamente, o código CFOP possui dois critérios, eles estão distribuídos pelo tipo da nota fiscal (entrada ou saída) e para qual região o produto, por exemplo, foi vendido.Entenda mais sobre Um exemplo de Tabela CFOP de compra seria esse:

CFOP Descrição Origem/Destino
1102 – Compra para comercialização Compra de produtos, de fornecedor do seu estado, sem substituição tributária Mesmo estado
2102 – Compra para comercialização Compra de produtos, de fornecedor de outro estado, sem substituição tributária Outro estado
2403 – Compra para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária Compra de produtos, de fornecedor de outro estado, com substituição tributária Outro estado
2556 – Classificam-se neste código as compras de produtos destinadas ao uso ou consumo do estabelecimento. Compra de produtos de fornecedor/vendedor de outro estado, destinados ao uso / consumo da empresa, por exemplo, materiais para consumir no dia-a-dia. Outro estado
2551 – Compra de bem para o ativo imobilizado Compra de produtos de fornecedor/vendedor de outro estado, que são destinados às atividades da empresa. Outro estado
You might be interested:  Tabela Do Modo De Serviço Tv Philco Ph21Mss?

Para entender melhor os critérios, veja a tabela abaixo:

Saída Entrada
inicia com o número 1 Dentro do Estado
inicia com o número 2 Fora do Estado

Quem determina o CFOP?

E a tabela CFOP, qual a sua finalidade? – O governo oficialmente divulga a tabela CFOP como um rol de códigos a serem usados por contribuintes em seus registros fiscais. Portanto, esses códigos abrangem uma ampla variedade de transações e recebem classificação em seis grupos principais, identificados pelo primeiro dígito de cada um.

Essa tabela, além de estar presente nas notas fiscais, é utilizada em diversos outros documentos fiscais, incluindo registros contábeis, relatórios fiscais e documentos de transporte. Sendo assim, sua função principal é classificar produtos e serviços em categorias de fácil identificação, simplificando o cálculo de impostos.

Além disso, essa tabela facilita o trabalho de fiscalização, permitindo ao governo verificar se os códigos foram corretamente atribuídos aos itens. Demonstração do código CFOP na Nota Fiscal

Quando se usa o CFOP 6949?

6949 – Outra saída de mercadoria ou prestação de serviço não especificado – Classificam-se neste código as outras saídas de mercadorias ou prestações de serviços que não tenham sido especificados nos códigos anteriores.

O que significa CST 090 na nota fiscal?

Início » CST » CST 090 – Nacional com tributação “outras” de ICMS, entenda o que significa O CST 090 é um código utilizado no âmbito do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para identificar operações com origem nacional e cuja tributação se classifica como “outras”.

O que significa CST 102 na nota fiscal?

102 – Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito. – Classificam-se neste código as operações que não permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e não estejam abrangidas nas hipóteses dos códigos 103, 203, 300, 400, 500 e 900.

Qual CST usar na entrada de mercadorias?

ICMS CFOP e CST Prestao de servio sujeita ao ICMS Aquisio de insumos e material de uso e consumo Escriturao da entrada.I. Na escriturao da entrada relativa a aquisio de mercadorias para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS, o contribuinte dever utilizar: (i) CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 000 (para mercadorias no sujeitas substituio tributria); e (ii) CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 060 (para mercadorias sujeitas substituio tributria).

II. Na escriturao da entrada relativa a mercadorias adquiridas para uso e consumo, o contribuinte dever utilizar: (i) CFOP 1.556/2.556 (compra de material para uso ou consumo) e CST 090 (para mercadorias no sujeitas substituio tributria); e (ii) CFOP 1407/2407 (compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria est sujeita ao regime de substituio tributria) e CST 060 (para mercadorias sujeitas substituio tributria).

Ementa ICMS – CFOP e CST – Prestao de servio sujeita ao ICMS – Aquisio de insumos e material de uso e consumo – Escriturao da entrada.I. Na escriturao da entrada relativa a aquisio de mercadorias para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS, o contribuinte dever utilizar: (i) CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 000 (para mercadorias no sujeitas substituio tributria); e (ii) CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 060 (para mercadorias sujeitas substituio tributria).

II. Na escriturao da entrada relativa a mercadorias adquiridas para uso e consumo, o contribuinte dever utilizar: (i) CFOP 1.556/2.556 (compra de material para uso ou consumo) e CST 090 (para mercadorias no sujeitas substituio tributria); e (ii) CFOP 1407/2407 (compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria est sujeita ao regime de substituio tributria) e CST 060 (para mercadorias sujeitas substituio tributria).

Relato 1. A Consulente, com atividade principal de transporte rodovirio de carga, exceto produtos perigosos e mudanas, intermunicipal, interestadual e internacional (CNAE 4930-2/02), em relao ao Cdigo Fiscal de Operaes e Prestaes – CFOP e ao Cdigo de Situao Tributria – CST, expe o seguinte entendimento: “Quando comprar mercadorias, para utilizao na prestao de servio, SEM substituio tributria dever classificar a escriturao utilizando o CFOP 1126/2126 (Compra para utilizao na prestao de servio), utilizando o CST 090; Quando comprar mercadorias, para utilizao na prestao de servio, COM substituio tributria dever classificar a escriturao utilizando o CFOP 1407/2407 (Compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria est sujeita ao regime de substituio tributria), utilizando o CST 060; Quando comprar mercadorias, para uso e consumo, SEM substituio tributria dever classificar a escriturao utilizando o CFOP 1556/2556 (Compra de material para uso ou consumo), utilizando o CST 090; Quando comprar mercadorias, para uso e consumo, COM substituio tributria dever classificar a escriturao utilizando o CFOP 1407/2407 (Compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria est sujeita ao regime de substituio tributria), utilizando o CST 060”.2.

  • Ante o exposto, indaga se est correto seu entendimento.
  • Interpretao 3.
  • De incio, cumpre notar que a Consulente coloca a situao de forma genrica, sem especificar, por exemplo, quais as mercadorias adquiridas.
  • Dessa forma, a resposta ser dada em relao aos aspectos gerais concernentes ao CFOP e ao CST, considerando que se tratam de mercadorias normalmente tributadas.4.
You might be interested:  Tabela De Idade Escolar Educação Infantil?

Dito isso, no entendimento deste rgo consultivo, a Consulente dever adotar os seguintes cdigos: 4.1. aquisio de mercadoria para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS: CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 000; 4.2.

  • Aquisio de mercadoria sujeita substituio tributria para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS: CFOP 1.126/2.126 (compra para utilizao na prestao de servio sujeita ao ICMS) e CST 060; 4.3.
  • Aquisio de mercadoria para uso ou consumo: CFOP 1.556/2.556 (compra de material para uso ou consumo) e CST 090; 4.4.

aquisio de mercadoria sujeita substituio tributria para uso ou consumo: CFOP 1407/2407 (compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria est sujeita ao regime de substituio tributria) e CST 060.5. Vale enfatizar que os referidos CFOPs no contemplam a aquisio de combustvel ou lubrificante, que possui CFOP especfico.

Nesse sentido, e considerando que no foram detalhadas as mercadorias adquiridas pela Consulente, recomenda-se a leitura das respostas s consultas 14490/2016, 14618/2016 e 16538/2017.6. Com esses esclarecimentos consideramos dirimidas as indagaes da Consulente. A Resposta Consulta Tributria aproveita ao consulente nos termos da legislao vigente.

Deve-se atentar para eventuais alteraes da legislao tributria.

Pode ser feita carta de correção para CFOP?

É possível a emissão de Carta de Correção para o CFOP e natureza de operação? R: Sim, desde que não influencie nas variáveis que determinam o valor dos impostos, a base de cálculo, alíquota, diferença de preço, quantidade, valor da operação ou da prestação.

Quando usar 5.403 e 5405?

O CFOP 5403 não pode ser utilizado para consumidor final, neste caso deve ser utilizado o 5405, que é o correto para produto com tributação substituição tributária, com venda para consumidor final.

Qual CFOP para venda de mercadoria?

Qual a diferença entre CFOP 5101 e CFOP 5102? – Ambas CFOP 5101 e CFOP 5102 representam operações de venda de seu município para o estado. Porém a diferença é que a 5101 indica venda de produção do estabelecimento e a 5102 indica uma venda de mercadorias adquiridas ou recebidas de terceiros. Saiba mais : o que significa CFOP 5102? Quando usar e dar entrada?

Quando usar CFOP 5.411 e 5202?

CFOP 5202: devolução de compra para comercialização ; CFOP 5405: venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros, sujeita ao regime de substituição tributária do ICMS; CFOP 5411: devolução de mercadoria adquirida para comercialização em operação com mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária.

Qual o CFOP de saída?

Para as Notas Fiscais de saída o prefixo se inicia com 5 ou 6. Seguindo o mesmo padrão do sufixo de entrada, o número 5 significa operação dentro do estado e 6 uma operação interestadual. CFOP de saída: Prefixo 5: Operação dentro do estado.

Qual CFOP para nota fiscal de entrada por devolução?

Qual CFOP Para Devolução De Entrada? – O CFOP de devolução de entrada mais utilizado é o 5202, que indica a devolução de compra para comercialização. Ou seja, a empresa está devolvendo um produto que comprou para comercializar, e não recebendo a devolução de uma venda, que é a operação indicada pelo CFOP 1202,

Qual a diferença entre CFOP 1102 e 2102?

Qual a diferença entre CFOP 1102 e 2102? Para notas fiscais de compras de mercadorias dentro do estado, utiliza-se o CFOP 1102. Já para notas fiscais de compras de mercadorias fora do estado, o CFOP adequado é o 2102.

Quando utilizar o CFOP 1651?

CFOP › 1000 – Entradas ou aquisições de serviços no Estado › 1650 – Entradas de combustíveis, derivados ou não de petróleo e lubrificantes › 1651 – Compra de combustível ou lubrificante para industrialização subseqüente.

O que é o CFOP 1202?

O CFOP 1202 refere-se à Devolução de venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros.

O que é o CFOP 1102?

1102 – Compra para comercialização Classificam-se neste código as compras de mercadorias a serem comercializadas. Também serão classificadas neste código as entradas de mercadorias em estabelecimento comercial de cooperativa recebidas de seus cooperados ou de estabelecimento de outra cooperativa.

Quando usar 5.403 e 5405?

O CFOP 5403 não pode ser utilizado para consumidor final, neste caso deve ser utilizado o 5405, que é o correto para produto com tributação substituição tributária, com venda para consumidor final.

Quando devo usar o CFOP 2949?

2949 – Outra entrada de mercadoria ou prestação de serviço não especificado. Classificam-se neste código as outras entradas de mercadorias ou prestações de serviços que não tenham sido especificados nos códigos anteriores.

Qual é o CFOP de entrada para 6102?

A entrada é com o CFOP 2102.