Tabela De Indice E Carga Glicemica Dos Alimentos?

Tabela De Indice E Carga Glicemica Dos Alimentos

Qual a carga glicêmica dos alimentos?

O que é carga glicêmica? – A carga glicêmica (CG) é a medida que expressa tanto a rapidez com que a glicemia se eleva (índice glicêmico), quanto a quantidade de carboidrato por porção que um alimento pode fornecer, Assim, ela é uma ferramenta mais precisa de prever o impacto real na glicemia de diferentes tipos e quantidades de alimentos.

Baixa CG : 0 a 10; CG média : 11 a 19; Alta CG : 20 ou mais.

Sendo assim, uma fatia de pão integral apresenta baixa carga glicêmica. Entretanto, ao ser consumida duas vezes, a carga glicêmica seria considerada média.

Como calcular a carga glicêmica dos alimentos?

Esta é a conta utilizada para calcular a carga glicêmica. O cálculo é simples: multiplica-se o índice glicêmico pelo número de gramas de carboidratos a cada 100g de alimento e divide-se por 100.

Quais alimentos tem alta carga glicêmica?

Nutricionista do HCor salienta a importância da escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados; quanto maior o número de fibras contidas na alimentação, menor será o índice glicêmico, para beneficiar uma alimentação saudável Muitas dietas indicam cortar o carboidrato do cardápio.

  1. Porém em uma rotina alimentar com baixo índice glicêmico o carboidrato não é visto como vilão – pois ele é responsável por fornecer a energia necessária para realizar as atividades do cotidiano.
  2. Sem eliminar o combustível indispensável para o organismo, é possível fazer escolhas mais saudáveis e conscientes consultando o índice glicêmico de cada alimento.

Popularmente conhecido como “IG”, o índice glicêmico é um fator utilizado para comparar os carboidratos em relação à capacidade de aumentar o nível de glicose no sangue (glicemia). Quando se consome carboidratos de alto índice glicêmico, o sangue recebe elevadas quantidades de açúcar em um pequeno intervalo de tempo.

Isso promove um pico de insulina no organismo e, por consequência, o apetite aumenta. Já quando se consome carboidratos de baixo índice glicêmico, o sangue recebe menos açúcar no mesmo espaço de tempo, afastando esse pico de insulina e reduzindo o apetite. De acordo com a nutricionista do HCor (Hospital do Coração), Camila Torreglosa, a classificação do índice glicêmico tem como referência um valor base de aumento da glicemia após o consumo de 50 gramas de açúcar ou pão.

Desta forma, alimentos com índice glicêmico menor ou igual a 60 são classificados como “baixos”. Já os alimentos com índice glicêmicos entre 70 e 99 são “moderados” e os acima de 100 são considerados “altos”. “Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos, têm mais fibras e também garantem energia.

  • Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para o aumento de peso”, esclarece Camila Torreglosa.
  • A lista dos alimentos de alto índice glicêmico (absorvidos rapidamente pelo organismo), ou seja aqueles que devem ser evitados, inclui o açúcar, arroz branco, batata inglesa, pão branco, biscoitos, doces, chocolate, massas, etc.

Já na lista dos alimentos com baixo índice glicêmico (absorvidos lentamente pelo organismo) estão os cereais integrais como, aveia, centeio, massas integrais, maçã, pera, ameixa, entre outros”, pontua. Segundo a nutricionista do HCor, controlar a alimentação com foco no índice glicêmico consiste em priorizar o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e diminuir o consumo dos alimentos com alto índice glicêmico.

Com a glicemia estável, não haverá aquele desejo súbito e incontrolável de comer um bolo de chocolate inteiro. Além disso, esses alimentos ricos em fibras fornecem saciedade e diminuem a fome fora de hora. Dica da nutricionista do HCor para adotar uma rotina alimentar de baixo índice glicêmico: uma dica é a escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados como açúcares e cereais refinados como arroz, pão branco, etc.

“Nestes casos, prefira sempre as opções integrais. Quanto maior o número de fibras contidas em sua alimentação, menor será o índice glicêmico e você estará desfrutando de todos os benefícios de uma alimentação saudável”, aconselha. Índice glicêmico dos alimentos Alto: açúcar (todos os tipos), doce de leite, compota de fruta, leite condensado, chocolate, chocolate em pó, bolos simples e recheados, biscoitos doces recheados, macarrão, arroz branco e batata.

Qual a carga glicêmica do pão?

O que é carga glicêmica? – Você talvez tenha ouvido bastante sobre índice glicêmico e, neste artigo, ele também foi o nosso foco até agora. Porém, a partir deste ponto, nosso objetivo é que você conheça outro conceito ― o de carga glicêmica. A carga glicêmica é um conceito que combina dois fatores: a quantidade de carboidratos que uma porção de alimento contém com seu índice glicêmico.

Portanto, a carga glicêmica nos ajuda a entender, de forma mais ampla, como um alimento será utilizado pelo nosso organismo, afetando os níveis de glicose no sangue. A importância dessa compreensão é que, com base nesses dados, nós podemos escolher melhor os alimentos, de acordo com os nossos objetivos de saúde.

Vamos citar, como exemplo, a melancia. Ela tem um índice glicêmico alto, que varia entre 70 e 80. Portanto, se observássemos apenas este conceito, nós eliminaríamos a melancia do cardápio. Porém, ela tem uma quantidade pequena de carboidratos, pois a maior parte de seu peso é composto por água.

Qual é o índice glicêmico da banana?

Banana nanica é o produto destaque da semana (20/4) Se no hemisfério norte a frase “comer uma maçã por dia mantém o médico longe” é válida, por aqui no hemisfério sul a frase deveria ser reescrita como “comer uma banana por dia mantém o médico longe”, devido aos benefícios que essa fruta traz. A banana é rica em potássio, um mineral da maior importância para o bom funcionamento do coração: uma unidade média, de 115g, fornece um terço das necessidades diárias recomendadas de potássio.

Além disso, a combinação de três tipos de açúcares naturais (sacarose, frutose e glicose) combinados com suas fibra, tornam essa fruta uma excelente fonte de energia: duas bananas fornecem energia suficiente para 90 minutos de exercícios. É fonte de carboidratos, vitamina A, B6, B12 e C, ferro e cálcio.

Por seu alto conteúdo de potássio, o consumo de banana é recomendado como um recuperador de energias. Segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, os baixos níveis de sódio e gordura fazem com que a banana seja incluída na dieta de pessoas com problemas de coração, rins e pressão alta.

A banana nanica é o tipo mais poupar no pais, onde é conhecida também como banana d’água em algumas regiões. Cada porção tem 98 kcal e 373 mg de potássio, e tem propriedades laxantes. As bananas são ricas em dois tipos de fibra: a pectina e o amido resistente. Essas duas substâncias ajudam a regular os níveis de açúcar no sangue.

Além disso, essa fruta apresenta baixo índice glicêmico (medida de 0 a 100 que quantifica a rapidez com que os alimentos aumentam os níveis de açúcar no sangue). Enquanto o valor glicêmico das bananas verdes é de cerca de 30, as maduras apresentam um índice glicêmico em torno de 60.

  • O valor médio de todas as bananas é de 51.
  • Com oferta o ano todo, em 2020 deram entrada no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) 35.915 toneladas de banana nanica, provenientes principalmente das cidades de Sete Barras/SPS (6.146 toneladas), Miracatu/SP (6.002 toneladas), Jaiba/MG (4.295 toneladas), Eldorado/SP (2.964 toneladas), Registro/SP (2.3750 toneladas), e Luís Alves/SC (2.4158 toneladas).
You might be interested:  Tabela De Cargos E Salários Escritório De Contabilidade?

No dia 19/4, ela estava sendo comercializada em média no atacado por R$ 1,83/kg. Para saber quem comercializa banana nanica no Entreposto Terminal São Paulo, acesse o nosso Guia CEAGESP no nosso portal:, Confira outras ofertas e dicas da semana nas mídias sócia.is (, e ) da Companhia. : Banana nanica é o produto destaque da semana (20/4)

Qual a carga glicêmica da aveia?

Tire todas as dúvidas durante a consulta online – Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa. Mostrar especialistas Como funciona? Boa tarde 100 g de aveia tem o índice glicêmico é de 55, de farelo de aveia o índice glicêmico é de 74, de farinha de aveia +- 72. Você pode comer aveia pois é um cereal que tem baixo índice glicêmico, rico em fibras, aminoácidos, acido graxos, vitaminas e minerais é um dos cereais mais completos em termos nutricionais.

Após ter tido chicugunha minha glicose subiu muito Será pura causa dos medicamentos? Furei o ddo n agulha de um DM pode ser contagioso? Meu pai descobriu diabetes esse ano e está tratando. Apresentando melhora nos exames mas ainda no processo de evolução. Porém esse ano ele também começou a sentir muita sensibilidade nas costas, peito e barriga as vezes. Falaram que pode ser por conta da diabetes porém não apresentam nenhuma solução Meu filho tem 15 anos é diabético tipo 1 ele pode tomar suplemento wyl Grávida, 28 semanas. Dia 3/2 minha glicemia em jejum deu 75. Dia 9/2 fiz curva glicêmica e o resultado foi: 130 em jejum, 164 – 1h após administração do dextrosol e 79 – 2h após administração do dextrosol. Pode uma glicemia em jejum sair de 130 que já seria diabetes pra 79 2h depois de ingerir 75g de Quando a glicemia em jejum dá 105 mas a hba1c dá 4,6 e todo o resto dos índices do exame de sangue estão igualmente bons devo me preocupar? fiz o jejum adequadamente mas estou em dúvida se esse índice é alarmante, já que na noite anterior ao exame minha última refeição foi 100g de arroz, frango e 700g Bom dia faço 1 hora de caminhada hj cheguei com muita vontade de fazer xixi fiz qdo voltei tinha muitas formigas na tampa do vaso será que é diabetes? Minha filha tem 6 anos, as vezes ela tem hipotermia, sem tomar nenhum remédio e sem exposição ao frio, a temperatura cai pra 34° e ela fica com muito frio. Mas, duas vezes aconteceu logo após ela comer muito doce. Isso pode ser um sintoma de diabetes? Fiz o teste de diabetes no aparelho da minha mae deu 125 faz 45 minutos que tomei café só diabética? Meu exame de curva glicêmica foram Jejum 79mg 1h 176mg 2h 166mg Será que estou com diabetes gestacional?

Qual é o índice glicêmico do arroz?

O arroz é conhecido como de alto índice glicêmico quando comparado a outros alimentos fontes de amido. Entretanto, na literatura existe discordância de valores de índice glicêmico de arroz. Jenkins et al. (7) encontraram índice glicêmico de 96 para arroz integral e 83 para o branco, já para Miller et al.

Qual o carboidrato com menor índice glicêmico?

Nutricionista do HCor salienta a importância da escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados; quanto maior o número de fibras contidas na alimentação, menor será o índice glicêmico, para beneficiar uma alimentação saudável Muitas dietas indicam cortar o carboidrato do cardápio.

  • Porém em uma rotina alimentar com baixo índice glicêmico o carboidrato não é visto como vilão – pois ele é responsável por fornecer a energia necessária para realizar as atividades do cotidiano.
  • Sem eliminar o combustível indispensável para o organismo, é possível fazer escolhas mais saudáveis e conscientes consultando o índice glicêmico de cada alimento.

Popularmente conhecido como “IG”, o índice glicêmico é um fator utilizado para comparar os carboidratos em relação à capacidade de aumentar o nível de glicose no sangue (glicemia). Quando se consome carboidratos de alto índice glicêmico, o sangue recebe elevadas quantidades de açúcar em um pequeno intervalo de tempo.

Isso promove um pico de insulina no organismo e, por consequência, o apetite aumenta. Já quando se consome carboidratos de baixo índice glicêmico, o sangue recebe menos açúcar no mesmo espaço de tempo, afastando esse pico de insulina e reduzindo o apetite. De acordo com a nutricionista do HCor (Hospital do Coração), Camila Torreglosa, a classificação do índice glicêmico tem como referência um valor base de aumento da glicemia após o consumo de 50 gramas de açúcar ou pão.

Desta forma, alimentos com índice glicêmico menor ou igual a 60 são classificados como “baixos”. Já os alimentos com índice glicêmicos entre 70 e 99 são “moderados” e os acima de 100 são considerados “altos”. “Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos, têm mais fibras e também garantem energia.

Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para o aumento de peso”, esclarece Camila Torreglosa. A lista dos alimentos de alto índice glicêmico (absorvidos rapidamente pelo organismo), ou seja aqueles que devem ser evitados, inclui o açúcar, arroz branco, batata inglesa, pão branco, biscoitos, doces, chocolate, massas, etc.

Já na lista dos alimentos com baixo índice glicêmico (absorvidos lentamente pelo organismo) estão os cereais integrais como, aveia, centeio, massas integrais, maçã, pera, ameixa, entre outros”, pontua. Segundo a nutricionista do HCor, controlar a alimentação com foco no índice glicêmico consiste em priorizar o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e diminuir o consumo dos alimentos com alto índice glicêmico.

Com a glicemia estável, não haverá aquele desejo súbito e incontrolável de comer um bolo de chocolate inteiro. Além disso, esses alimentos ricos em fibras fornecem saciedade e diminuem a fome fora de hora. Dica da nutricionista do HCor para adotar uma rotina alimentar de baixo índice glicêmico: uma dica é a escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados como açúcares e cereais refinados como arroz, pão branco, etc.

“Nestes casos, prefira sempre as opções integrais. Quanto maior o número de fibras contidas em sua alimentação, menor será o índice glicêmico e você estará desfrutando de todos os benefícios de uma alimentação saudável”, aconselha. Índice glicêmico dos alimentos Alto: açúcar (todos os tipos), doce de leite, compota de fruta, leite condensado, chocolate, chocolate em pó, bolos simples e recheados, biscoitos doces recheados, macarrão, arroz branco e batata.

Qual o índice de glicêmico da batata doce?

No forno, o calor desidrata a batata-doce, aumentando esse índice, que é a velocidade da liberação de glicose. Então o ideal é consumi-la cozida. A batata-inglesa cozida tem índice glicêmico 82 e a batata-doce, 46.

Qual o alimento que não aumenta a glicose?

Nutricionista do HCor salienta a importância da escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados; quanto maior o número de fibras contidas na alimentação, menor será o índice glicêmico, para beneficiar uma alimentação saudável Muitas dietas indicam cortar o carboidrato do cardápio.

  1. Porém em uma rotina alimentar com baixo índice glicêmico o carboidrato não é visto como vilão – pois ele é responsável por fornecer a energia necessária para realizar as atividades do cotidiano.
  2. Sem eliminar o combustível indispensável para o organismo, é possível fazer escolhas mais saudáveis e conscientes consultando o índice glicêmico de cada alimento.
You might be interested:  Tabela De Preços Para Orçamento De Obras?

Popularmente conhecido como “IG”, o índice glicêmico é um fator utilizado para comparar os carboidratos em relação à capacidade de aumentar o nível de glicose no sangue (glicemia). Quando se consome carboidratos de alto índice glicêmico, o sangue recebe elevadas quantidades de açúcar em um pequeno intervalo de tempo.

Isso promove um pico de insulina no organismo e, por consequência, o apetite aumenta. Já quando se consome carboidratos de baixo índice glicêmico, o sangue recebe menos açúcar no mesmo espaço de tempo, afastando esse pico de insulina e reduzindo o apetite. De acordo com a nutricionista do HCor (Hospital do Coração), Camila Torreglosa, a classificação do índice glicêmico tem como referência um valor base de aumento da glicemia após o consumo de 50 gramas de açúcar ou pão.

Desta forma, alimentos com índice glicêmico menor ou igual a 60 são classificados como “baixos”. Já os alimentos com índice glicêmicos entre 70 e 99 são “moderados” e os acima de 100 são considerados “altos”. “Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos, têm mais fibras e também garantem energia.

  1. Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para o aumento de peso”, esclarece Camila Torreglosa.
  2. A lista dos alimentos de alto índice glicêmico (absorvidos rapidamente pelo organismo), ou seja aqueles que devem ser evitados, inclui o açúcar, arroz branco, batata inglesa, pão branco, biscoitos, doces, chocolate, massas, etc.

Já na lista dos alimentos com baixo índice glicêmico (absorvidos lentamente pelo organismo) estão os cereais integrais como, aveia, centeio, massas integrais, maçã, pera, ameixa, entre outros”, pontua. Segundo a nutricionista do HCor, controlar a alimentação com foco no índice glicêmico consiste em priorizar o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e diminuir o consumo dos alimentos com alto índice glicêmico.

  • Com a glicemia estável, não haverá aquele desejo súbito e incontrolável de comer um bolo de chocolate inteiro.
  • Além disso, esses alimentos ricos em fibras fornecem saciedade e diminuem a fome fora de hora.
  • Dica da nutricionista do HCor para adotar uma rotina alimentar de baixo índice glicêmico: uma dica é a escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados como açúcares e cereais refinados como arroz, pão branco, etc.

“Nestes casos, prefira sempre as opções integrais. Quanto maior o número de fibras contidas em sua alimentação, menor será o índice glicêmico e você estará desfrutando de todos os benefícios de uma alimentação saudável”, aconselha. Índice glicêmico dos alimentos Alto: açúcar (todos os tipos), doce de leite, compota de fruta, leite condensado, chocolate, chocolate em pó, bolos simples e recheados, biscoitos doces recheados, macarrão, arroz branco e batata.

Qual é a fruta que aumenta a glicose?

A melancia contém um alto teor de frutose, o que pode elevar os picos de açúcar no sangue, sendo prejudicial a saúde de quem tem diabetes e glicose alta.

Qual o alimento que mais aumenta a glicose?

1. Açúcar e doces em geral – O açúcar, de todos os tipos, e as receitas que usam esse ingrediente em grandes quantidades têm uma alta concentração de glicose. Por conta disso, a melhor forma de evitar consequências ruins é diminuir, ao máximo, o consumo desses alimentos.

No entanto, isso não significa que a pessoa com diabetes não possa adoçar o café, por exemplo. O uso de adoçantes naturais, como a stévia, é uma ótima alternativa. É importante ressaltar também que o uso de adoçantes não é uma regra. O açúcar pode sim ser utilizado, mas sempre com moderação. O ideal é tentar reduzir sua quantidade aos poucos, até o mínimo tolerável.

Consumir os alimentos com seus sabores originais é sempre a melhor opção.

Qual a carga glicêmica do feijão?

Feijão. O feijão é um alimento muito popular em nossa culinária, e não pode faltar na mesa de almoço. A boa notícia é que, além de ser rico em ferro, ele possui um índice glicêmico de 24.

Qual é a banana que tem menos açúcar?

A banana madura, com a casca completamente amarela, tem um índice glicêmico de 52 (baixo índice glicêmico) e é perfeita para o consumo.

Qual o arroz com menor índice glicêmico?

Segundo Walter et al. (9) o arroz parboilizado apresenta menor índice glicêmico quando comparado ao arroz branco polido. Apesar de o arroz ser um alimento secular, alguns aspectos nutricionais ainda não são conclusivos.

Qual a fruta que tem menos índice glicêmico?

1 – Frutas com baixo índice glicêmico – Algumas frutas com baixo índice glicêmico são:

Maçã.Pera.Laranja.Damasco.Pêssego.Ameixa.Tangerina.

Essas frutas são ricas em fibra, elemento esse que reduz a velocidade em que o organismo absorve o açúcar, auxiliando assim, a manutenção do nível da glicose no sangue. Inclusive, as que possuem bagaço ou casca comestíveis, como a maçã, por exemplo, o ideal é que sejam consumidas inteiras, sem retirar essas partes.

Qual é o índice glicêmico da maçã?

Notícias Consuma diariamente legumes, verduras, cereais, grãos e leguminosas. Prefira as versões integrais de massas, pães, biscoitos (observe na rotulagem o teor de fibras na porção do alimento). Reduza consumo de alimentos e preparações açucaradas. Alguma novidade nesta orientação? Provavelmente não.

  • Mas você sabia que ela também tem por base os conceitos de índice glicêmico e carga glicêmica.
  • Vamos falar um pouco sobre eles para que você compreenda a diferença e não se deixe enganar por discursos que preconizam a exclusão de certos alimentos ou o consumo de apenas um tipo de carboidrato trazendo como justificativa tais indicadores.

O índice glicêmico (IG) pode ser considerado como um indicador da qualidade do carboidrato presente no alimento, ou seja, o índice glicêmico classifica o alimento de acordo com a elevação da glicemia produzida pelo carboidrato, em comparação com alimento padrão.

  1. Neste contexto vale a pena ressaltar que a quantidade de carboidrato presente no alimento tem de ser fixada em 50g ou 25g, dependendo do alimento padrão utilizado, ou seja, a quantidade de carboidratos disponíveis nesta análise não é semelhante a que temos em uma porção do alimento.
  2. Exemplo: 01 maça média (130g) apresenta 16,9g de carboidrato disponível.

Para termos 50g de carboidrato disponível teremos de consumir aproximadamente 03 unidades de maçã. O índice glicêmico compara a elevação da glicemia produzida por 50g de carboidrato da maçã com 50g de carboidrato da glicose (alimento padrão). IG da maçã = 38 ±2 (baixo).

A carga glicêmica (CG) por sua vez classifica o efeito de uma porção do alimento sobre a elevação da glicemia permitindo a análise da repercussão desta alteração nas respostas fisiológicas do organismo, como por exemplo, sobre a liberação de insulina. É definida como o produto do IG (glicose como referência) do alimento pela quantidade de carboidrato disponível presente na porção consumida, dividido por 100. Apresenta como classificação CG Baixa (≤10), CG média (11-19) e CG alta (≥20) Seguindo mesmo exemplo citado acima, o IG da maçã é de 38 ±2, em 01 unidade de maçã temos 16,9g carboidrato disponível, sendo assim a carga glicêmica da maçã é igual a 6,45 (baixa). Com base nesta explicação e levando em consideração que tanto índice glicêmico quanto a carga glicêmica sofrem alteração de fatores intrínsecos e extrínsecos dos alimentos, como fazer escolhas saudáveis na alimentação diária?

Muito simples. Sua alimentação diária deve ser composta por ALIMENTOS variados, seguindo as orientações presentes no primeiro parágrafo deste texto. Lembre-se de que tais recomendações foram elaboradas, com base em evidências científicas, por profissionais/pesquisadores da área da saúde que tem por missão levar o conhecimento científico ate você através de orientações práticas para seu dia-a-dia.

You might be interested:  Tabela De Gasto Calorico Em Atividades Fisicas?

Qual o pão com menor índice glicêmico?

O pão integral é um ótimo substituto do pão branco — que, por sua vez, tem um índice glicêmico de 75. Isso porque o pão integral tem um índice de apenas 43.

Qual o índice glicêmico do arroz basmati?

Arroz basmati – índice glicêmico: 52 (Baixo)

Qual é o índice glicêmico da pipoca?

Tabela de índice glicêmico de alimentos

COMIDA Índice glicêmico (glicose = 100)
Pipoca 65 ± 5
Batatas fritas 56 ± 3
Refrigerante / refrigerante 59 ± 3
Bolachas / batatas fritas de arroz 87 ± 2

Quais os alimentos de baixa carga glicêmica?

Nutricionista do HCor salienta a importância da escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados; quanto maior o número de fibras contidas na alimentação, menor será o índice glicêmico, para beneficiar uma alimentação saudável Muitas dietas indicam cortar o carboidrato do cardápio.

Porém em uma rotina alimentar com baixo índice glicêmico o carboidrato não é visto como vilão – pois ele é responsável por fornecer a energia necessária para realizar as atividades do cotidiano. Sem eliminar o combustível indispensável para o organismo, é possível fazer escolhas mais saudáveis e conscientes consultando o índice glicêmico de cada alimento.

Popularmente conhecido como “IG”, o índice glicêmico é um fator utilizado para comparar os carboidratos em relação à capacidade de aumentar o nível de glicose no sangue (glicemia). Quando se consome carboidratos de alto índice glicêmico, o sangue recebe elevadas quantidades de açúcar em um pequeno intervalo de tempo.

  1. Isso promove um pico de insulina no organismo e, por consequência, o apetite aumenta.
  2. Já quando se consome carboidratos de baixo índice glicêmico, o sangue recebe menos açúcar no mesmo espaço de tempo, afastando esse pico de insulina e reduzindo o apetite.
  3. De acordo com a nutricionista do HCor (Hospital do Coração), Camila Torreglosa, a classificação do índice glicêmico tem como referência um valor base de aumento da glicemia após o consumo de 50 gramas de açúcar ou pão.

Desta forma, alimentos com índice glicêmico menor ou igual a 60 são classificados como “baixos”. Já os alimentos com índice glicêmicos entre 70 e 99 são “moderados” e os acima de 100 são considerados “altos”. “Os carboidratos de baixo índice glicêmico são menos calóricos, têm mais fibras e também garantem energia.

  • Já os carboidratos de médio e alto índice glicêmico contribuem para o aumento de peso”, esclarece Camila Torreglosa.
  • A lista dos alimentos de alto índice glicêmico (absorvidos rapidamente pelo organismo), ou seja aqueles que devem ser evitados, inclui o açúcar, arroz branco, batata inglesa, pão branco, biscoitos, doces, chocolate, massas, etc.

Já na lista dos alimentos com baixo índice glicêmico (absorvidos lentamente pelo organismo) estão os cereais integrais como, aveia, centeio, massas integrais, maçã, pera, ameixa, entre outros”, pontua. Segundo a nutricionista do HCor, controlar a alimentação com foco no índice glicêmico consiste em priorizar o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico e diminuir o consumo dos alimentos com alto índice glicêmico.

  1. Com a glicemia estável, não haverá aquele desejo súbito e incontrolável de comer um bolo de chocolate inteiro.
  2. Além disso, esses alimentos ricos em fibras fornecem saciedade e diminuem a fome fora de hora.
  3. Dica da nutricionista do HCor para adotar uma rotina alimentar de baixo índice glicêmico: uma dica é a escolha por alimentos na sua forma integral e o abandono de alimentos refinados como açúcares e cereais refinados como arroz, pão branco, etc.

“Nestes casos, prefira sempre as opções integrais. Quanto maior o número de fibras contidas em sua alimentação, menor será o índice glicêmico e você estará desfrutando de todos os benefícios de uma alimentação saudável”, aconselha. Índice glicêmico dos alimentos Alto: açúcar (todos os tipos), doce de leite, compota de fruta, leite condensado, chocolate, chocolate em pó, bolos simples e recheados, biscoitos doces recheados, macarrão, arroz branco e batata.

Qual é a carga glicêmica do arroz?

Índice glicêmico x carga glicêmica – O índice glicêmico é um sistema de classificação para qualquer alimento que contenha carboidratos. Ele representa a rapidez com que cada alimento afeta o nível de açúcar no sangue (glicose) quando é consumido sozinho ().

  • O índice glicêmico (IG) é classificado em uma escala de 0 a 100 com base na rapidez e em quanto seus níveis de açúcar no sangue aumentam depois de consumir um alimento.
  • Por exemplo, o pão branco é rapidamente digerido, causa flutuações substanciais no açúcar no sangue e, portanto, tem um alto índice glicêmico, próximo a 100.

A aveia integral, por outro lado, é digerida lentamente, causando um aumento gradual do açúcar no sangue. Por isso, 100g de aveia tem um índice glicêmico bem menor, em torno de 55. Em geral, alimentos contendo mais fibra, mais gordura, mais proteína possuem um índice glicêmico (IG) menor do que alimentos desprovidos destes nutrientes.

Isto porque são convertidas mais devagar em açúcar, causando assim um aumento lento de glicose no sangue. Grãos refinados possuem um índice glicêmico mais alto que grãos integrais pois perderam suas fibras durante o processamento. Mesmo assim, nem sempre a diferença é substancial. Por exemplo, o arroz branco possui um IG de 73 e o arroz integral de 68.

Por isso, combinar estes alimentos com outros contendo ainda mais fibras é uma estratégia interessante. Por exemplo, comer o arroz puro vai aumentar muito mais a glicemia do que um prato de arroz, feijão (IG de 30) e salada de folhas (IG de 10). Essas estratégias de combinação são importantes pois alimentos ricos em carboidratos (como frutas e legumes) são ricos em fitoquímicos, vitaminas e minerais importantes para a saúde.

Uma outra forma de pensar nos alimentos é relação à carga glicêmica (CG). Este índice é usado para classificar os alimentos em relação à sua porção. A carga glicêmica é calculada tomando o índice glicêmico de um alimento, multiplicando-o pelo teor de carboidratos (medido em gramas) e dividindo por 100.

A carga glicêmica é realmente mais confiável do que o índice glicêmico. Por exemplo, o índice glicêmico da melancia é 72 (alto). No entanto, a carga glicêmica em uma porção de melancia é de apenas 4, o que é extremamente baixo, pois o teor de carboidratos da melancia é muito pequeno.

  1. A fruta é muito rica em água.
  2. Portanto, embora seus níveis de açúcar no sangue possam subir rapidamente, eles não permanecerão elevados por muito tempo, pois há muito pouco carboidrato na melancia.
  3. Ao usar a carga glicêmica como referência para sua alimentação, lembre-se de que os alimentos entre 10 e 20 na carga glicêmica são considerados moderados e não manterão a glicemia elevada por muito tempo.

Alimentos com carga glicêmica superior a 20, no entanto, devem ser consumidos esporadicamente, pois aumentam os níveis de açúcar no sangue e os mantêm elevados por mais tempo. Ter picos rápidos e reduções consequentes fará com que você se sinta insatisfeito e cansado.

Qual a carga glicêmica das frutas?

Índice glicêmico das frutas que o diabético pode comer – Para ficar mais claro, confira frutas que diabéticos podem comer a partir dessa tabela onde listamos os alimentos em ordem crescente de acordo com seu índice glicêmico :

Fruta Índice Glicêmico (IG)
Abacate 15
Amora 22
Toranja 25
Pêssego 28
Ameixa seca, sem caroço 29
Framboesa 32
Pêra 33
Damasco 34
Maçã 36
Morango 40
Laranja 43
Banana 51
Manga 51
Mirtilos 53
Ameixa 53
Fruta do conde ou Pinha 54
Mamão 56
Kiwi 58
Pêssego em Caldas 58
Abacaxi 59
Uva 59
Figo Seco 61
Cereja 63
Cranberry 64
Uva passa 64
Melão 65
Melancia 76
Açaí 86
Tâmara seca 103